Confinamento de gado de corte: como aumentar o lucro

Gostou? Compartilhe!

O confinamento de gado é um método de criação que permite giro rápido. E uma das suas grandes vantagens é que pode ser aderido até mesmo por pequenas propriedades, desde que a estrutura seja adequada. O foco para se ter um bom resultado na engorda precisa estar direcionado 100% no cocho, além de um manejo correto para evitar doenças comuns nesse sistema.

Seguindo as orientações e não deixando nenhum processo para trás, o lucro esperado com certeza será uma realidade na sua pecuária. Neste conteúdo, a Boi Saúde irá indicar desde os aspectos mais básicos até aqueles que fazem a diferença na lida e que te trarão uma maior produtividade.

Por mais que a criação de gado predominante no Brasil seja a pasto, o confinamento está em amplo crescimento. Por exemplo, em 2020, nosso país bateu recorde de bovinos confinados. O censo DMS de confinamento apontou que mais de seis milhões de cabeças de gado estão em criação nesse sistema. Esse número corresponde ao aumento de 6%, quando comparado com o ano anterior, 2019.

E se você está pensando em aumentar esse número ou já adotou o confinamento de gado e quer melhorar seus resultados, continue com a gente.

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

O que é confinamento de gado

 

O confinamento de gado baseia-se em manter, por determinado período, um número de cabeças de gado em um único local.

Entretanto, como não há pasto, oferecer suprimentos e uma dieta com alimentos completos, que faça a nutrição adequada, está entre as demandas do sistema.

 

Por que aderir?

 

Além do confinamento contínuo, aquele que dura o ano todo, algumas propriedades o adotam apenas na seca, quando a falta de pasto bate na porteira. Nesse caso, nomeamos de semi-confinamento. Geralmente, o gado é confinado entre maio e outubro.

Quando se programa a engorda para o período de entressafra, quando há grande procura de mercado e pouca oferta de cabeças de gado, a projeção de lucro é maior, devido a arroba ter mais chances de atingir pontos altos.

 

Vantagens do confinamento de gado

  • Permite a comercialização do gado ao ano todo, não apenas nos períodos de safra (janeiro e junho);
  • Redução da idade de abate;
  • O gado não gasta energia extra ao pastar em grandes áreas atrás do melhor capim;
  • O tempo da fase de terminação é menor;
  • Tira animais mais pesados da pastagem, em caso de sistemas de semi-confinamento.

 

Desvantagens do confinamento de gado

  • Foco alimentar é 100% no cocho, então o planejamento alimentar não pode falhar um único dia;
  • Demanda de estrutura física maior quando comparado ao sistema a pasto;
  • Os bovinos estão mais suscetíveis a doenças respiratórias e digestivas (vamos entender esse tema em breve, aqui no texto).

 

confinamento de gado
O confinamento de gado oferece projeção de engorda o ano todo. – Foto: reprodução/@natureza_coisas_que_amamos_

Qual a margem de engorda por dia de um boi confinado?

 

Um boi confinado tem condições de engordar um quilo por dia. Claro que esse número depende de vários fatores. Desde o manejo, controle de estresse, prevenção de doenças, exposição em excesso ao sol e frio, quantidade e qualidade de ração e suplementos, contam muito na engorda.

Ao todo, o gado confinado consegue, no mínimo, terminar o confinamento com mais de 460 quilos. Esse número corresponde a 16 arrobas. É um peso bem considerável, concorda?

 

Alimentação

 

Já que mais de 80% do custo de uma produção de confinamento de gado é com alimentação, não tem como deixar esse tópico de lado.

Em primeiro lugar, o que é servido no cocho será revertido em arrobas. Em segundo lugar, saber o que oferecer de alimentação e nutrição faz toda a diferença na qualidade da carne que será produzida.

Sendo assim, por conta do investimento, é mais sensato oferecer sempre o que dará o melhor resultado. Afinal, custear uma alimentação que não trará as arrobas esperadas, além de não valorizar o seu dinheiro como merece, ainda vai resultar em perda de tempo daquele boi confinado.

A partir dessa reflexão, a Boi Saúde explica neste tópico as melhores opções de ração, grãos, silagem e suplementos para que sua renda realmente tenha a meta batida ou até mesmo superada.

 

Ração

Como o gado confinado não pasta, a alimentação é 100% no cocho. Então, a ração que você oferece hoje precisa atender tudo o que organismo daquele boi precisa para ganhar peso e também se manter saudável.

Comece selecionando sempre os melhores ingredientes que farão parte da receita. Soja, milho e sorgo, que são bem comuns como base da ração e da silagem, em bom estado é o mais adequado.

Outro ponto muito importante é oferecer a alimentação indicada para cada fase. O que o bezerro come não pode ser oferecido para o gado na terminação. Bom, poder até pode, mas não é o indicado. Ainda mais se você está em busca de aumentar sua produtividade.

E sim, o confinamento de bezerros é viável. Você encontra o tema mais abaixo aqui neste mesmo conteúdo.

Ao clicar em cada link abaixo, você terá acesso a receitas de acordo com cada fase de criação. Todas elas podem ser preparadas na propriedade. Além disso, foram elaboradas com ingredientes que realmente fazem sentido para a engorda, resultando em um produto final de qualidade: 

Além das rações, há quem ofereça também:

 

Grãos

Já citamos acima sobre a importância dos grãos no confinamento de gado. Por ser um alimento concentrado, aqueles que fornecem uma porcentagem de energia extra, estão entre as opções mais utilizadas como alimentação.

Milho: considerado um alimento concentrado por ter alto índice de energia é um dos grãos mais utilizados na pecuária de corte. Considere complementá-lo com alimentos volumosos (feno e silagem) e também à base de proteínas. Uma desvantagem é a alta dos preços. Uma dica é o cultivo na propriedade ou até mesmo fazer a substituição por outros grãos mais baratos.

Soja: servida em grãos ou como farelo, é outra oportunidade de engorda e também oferece nutrição. O farelo de soja é mais nutritivo que o algodão. Entenda mais: Farelo de soja para gado: como oferecer.

Sorgo: cereal fonte de amido e com valor nutricional próximo ao milho. Além do grão, é também servido em forma de silagem. Confira informações complementares: Sorgo para bovinos.

 

 

Silagem

A silagem é uma forma prática de alimentar os bovinos. A propriedade que tem o hábito de estocar alimento se dá muito bem com essa opção, já que o principal objetivo é preservar o valor nutricional do principal ingrediente. Geralmente é feita com grãos. No entanto, feno e cana também entram na lista.

No regime a pasto, a silagem é muito utilizada na seca, quando há falta de pasto. Já no confinamento, em alguns casos, o ano todo.

Ao seguir as instruções corretas de produção e armazenamento, o pecuarista consegue alternar a matéria-prima de acordo com a variação de preços do mercado. E em muitos casos, até cultivar o principal ingrediente. Temos a vantagem de viver em um país com solo fértil e clima tropical. Além dos grãos e da cana, mandioca também cai bem como silagem, assim como  muitas outras sugestões. Conheça algumas abaixo:

 

Nutrição

E se você oferece tudo o que foi citado acima e mesmo assim seu gado não engorda? Possivelmente está faltando aquela força extra que só os suplementos garantem quando se trata de pecuária. A nutrição no confinamento tem que ser incluída no plano alimentar. Vamos te justificar o papel de cada um dos suplementos logo abaixo.

 

Virginiamicina

muito recomendado para o gado confinado. Já que o foco do confinamento é engordar o gado no cocho, por meio de ração, grãos e silagem, e com gasto mínimo de energia, o organismo do bovino recebe uma grande dose de concentrado. Como resultado, alguns problemas digestivos passam a ser bem comuns.

Se este é seu primeiro contato com a virginiamicina, é importante entender qual o papel desse suplemento no confinamento de gado.

Considerada um melhorador de desempenho, promove uma engorda expressiva por atuar diretamente nas bactérias do rúmen do animal.

Essa atuação proporciona mais arrobas para o rebanho porque faz com que tudo o que é consumido no cocho seja realmente absorvido. Isso inclui as vitaminas, sais minerais, ferro, cálcio, fósforo, entre outros.

Todos esses elementos mantêm a saúde do animal em dia e impedem que graves doenças se manifestem. Incluindo aquelas que atacam diretamente a digestão bovina.

E sim, esse suplemento faz tudo isso porque é uma tecnologia comprovada. O manejo direto no cocho facilita a atividade da lida. E como já é adquirido pronto, não precisa de uma produção, como a silagem.

A virginiamicina, oferecida em todas as fases, melhora o rendimento de carcaça já na fase de terminação. E como nessa última fase, a dieta é com alto valor energético, acontece sempre mudanças nos padrões de fermentação ruminal.

E a virginiamicina tem o poder de evitar a acidose ruminal, problema digestivo tão comum no confinamento de gado.

Poderíamos escrever linhas e mais linhas sobre esse aditivo, mas como ainda temos muito o que conversar sobre nosso tema central, sugerimos a leitura complementar dos seguintes assuntos.
Clique e saiba mais:

 

Nutrição no confinamento de gado
Nutrição no confinamento de gado é essencial para bater as metas de arrobas. – Foto: Fazenda Ariranha

Sal proteinado

Chegamos a um suplemento muito famoso da nossa pecuária. O sal proteinado é o resultado do sal mineral enriquecido com proteínas. Indispensável em propriedades que desejam alcançar uma boa margem de lucro, o uso é muito indicado na seca.

Se no sistema a pasto o uso desse tipo de sal é indicado para repor a deficiência do solo, no confinamento realmente é muito necessário.

Então, inclua na sua rotina o fornecimento e também a produção própria, por que não? Aprenda como fazer: receita de sal proteinado.

 

Ureia

Agora, amigo pecuarista, se você procura oferecer a suplementação animal de menor custo, chegamos a ela: ureia.

A mistura de sal mineral e ureia é uma das mais baratas do mercado pecuário e, de quebra, proporciona benefícios que são notados logo na entressafra. Manter o peso é o principal objetivo. Não deixe de oferecer uma boa ração ou silagem de forrageira como forma complementar.

Para os produtores de gado que não utilizam a ureia por medo de intoxicação, por já terem perdido cabeças pelo consumo da ureia molhada ou em excesso, podem ficar tranquilos.

Existe um novo modelo no mercado que permite que a ureia, mesmo molhada, seja consumida pelo gado sem causar nenhum problema na saúde daquele animal. O nome do produto é Total Ureia Premium, desenvolvida e comercializada com exclusividade no Brasil pela Boi Saúde.

Além de não causar intoxicação quando molhada, o Total Ureia Premium tem mais vantagens:

  • O sabor é mais agradável quando comparado com as demais ureias porque tem essência de baunilha. Lendo-o assim pode parecer um mero detalhe. Entretanto, o produtor não precisa incluir outros produtos como fubá ou melaço de cana para aumento do consumo;
  • No início do oferecimento, o produtor não pode oferecer a quantidade de 49 gramas a cada 100 quilos de peso vivo por cabeça de gado. É preciso uma adaptação. Mas o Total Ureia Premium dispensa mais essa atividade do manejo.
  • Tem probióticos como componente.

Quer entender melhor como funciona e quais os benefícios de acordo com seu gado (raça), sistema (pasto ou confinamento) e fase (cria, recria e engorda)? Agende uma consultoria gratuita. Vamos te ligar para esclarecer suas principais dúvidas e orientar a melhor forma de uso. É só clicar: quero agendar minha consultoria sobre o uso da nova ureia.

 

Ureia pecuária comum

Mas se você preferir continuar com a ureia pecuária comum, foque nos cuidados. Em primeiro lugar, tenha cobertura no cocho e proteção nas laterais para evitar o acúmulo de água. Em segundo lugar, faça uma adaptação no início do oferecimento que deve ser feita aos poucos. E por último, tenha sempre vinagre ou solução de ácido acético a 5% na propriedade para socorrer algum animal caso seja intoxicado.

Para não perder nenhum animal por uso incorreto, faça a prevenção: Tudo sobre ureia para bovinos: confira os cuidados.

 

Como começar o confinamento de gado

 

A primeira atitude é verificar se a sua propriedade está com a estrutura adequada para atender a demanda que o confinamento exige. Depois, confira as raças que mais têm resultados e também se adaptam à sua região. 

Feito isso, tenha um caixa que te dê condições de manter a alimentação e sanidade animal em dia. Vacinas, pagamento de peões e das contas que fazem com que a rotina da lida e manejo sigam diariamente, devem ser todos contabilizados. 

O ideal é ter uma planilha para você controlar os gastos, investimentos e também o lucro das vendas dos animais. Quando se tem os números organizados em um único lugar, a propriedade tem condições de entender qual o lucro do mês, em que processo gastou mais e em quais atividades é possível economizar. 

Quer um modelo de planilha de contas próprio para a pecuária? Ganhe a sua clicando aqui: planilha de controle de contas. E sim, você literalmente ganha, a Boi Saúde não cobra nada por esse material. 

 

estrutura de confinamento de gado
A estrutura de confinamento de gado precisa atender as necessidades da criação. – Foto: Green Farming Brasil

Estrutura

 

Sobre o tamanho da área, para cada 50 cabeças, delimite uma área em torno de 750 metros quadrados. Para cada cabeça, o espaço confortável de 15 metros quadrados é a medida ideal recomendada pela Embrapa. Esse número significa que mesmo as pequenas propriedades conseguem se adequar e atuar com o confinamento.

Além disso,  para cada 50 cabeças delimite uma área em torno de 750 metros quadrados. Para cada cabeça, o espaço confortável de 15 metros quadrados é a medida ideal recomendada pela Embrapa. Esse número significa que mesmo as pequenas propriedades conseguem se adequar e atuar com o confinamento.

 

Piso

A área precisa ser bem drenada e, sempre que possível, estar seca. A lama é um elemento que realmente não pode aparecer.

A inclinação do terreno entre 3% e 5% evita o acúmulo de água que provoca o surgimento de lama e também de poças de água.

 

Curral

Para cada curral, insira um número máximo de 100 bovinos. Para esclarecer, esse número facilita o manejo e o monitoramento. Existem vários modelos. O mais importante é construir um que seja prático e que atenda a necessidade de manejo do seu rebanho. Muitas vezes o que a propriedade vizinha adotou, pode não ser o ideal para o seu terreno.

 

Galpão

Estocar grãos, silagem e suplementos é algo que faz parte da rotina, já que o gado literalmente depende desses itens para não passar fome. Então, reserve um espaço para armazenar as sacas e demais insumos. Não precisa ser um espaço muito grande, mas suficiente para que você guarde uma reserva de alimentação e guarde possíveis compras em momentos de baixa de preços de grãos. Ou quando aproveitar aquela promoção de suplementos.

Só fique atento aos cuidados. Nunca deixe os sacos diretamente no chão. Rastreie sempre a presença de roedores. Ambiente sempre arejado e evite que a luz solar bata diretamente nos sacos.

 

Mão de obra

O número de funcionários varia de acordo com o número de cabeças. Uma indicação é de duas pessoas para cada 100 bovinos. Mesmo que o gado esteja confinado e que a atividade de toque para o pasto deixa de existir, o monitoramento precisa ser feito diariamente. Não apenas para checar a engorda. Mas se o comportamento está normal.

Ainda, o abastecimento do cocho é feito diariamente. A limpeza das baías e dos cochos e bebedouros também entra na agenda.

Fechar os bovinos no tronco é outro motivo para se ter peões. Impossível fazer essa tarefa sozinho. Principalmente, quando se envolve pesagem, vacinas e até transporte.

 

Baias

Existem as baias individuais e as coletivas. O fator principal a ser respeitado é o tamanho. Sozinho ou em lote, o animal precisa de espaço para se mexer confortavelmente.

De preferência, instale coberturas. É muito comum na nossa pecuária grandes extensões de terra para confinamento sem uma única árvore ou cobertura para abrigo dos bovinos. Em regiões muito quentes, proteger o gado do gado, além de atuar a favor do bem-estar animal, evita o estresse térmico, que causa a perda de peso.

Sobre os tamanhos indicados para as baias:

Em propriedades com baias coletivas, formadas por lotes, não insira mais que 100 animais. Separe entre 12 e 15 metros para cada cabeça. Uma conta fácil para te ajudar é para 20 animais, uma baia de 300 metros é uma boa pedida. Já para as baias coletivas, que são muito indicadas para propriedades pequenas, 10 metros para cada bovino, no mínimo, é o recomendado.

E é claro que temos um conteúdo só sobre as baias: Baias para bovinos no confinamento: quais os tamanhos?

 

 

Cochos

Existem diversos tipos de cochos que se encaixam no confinamento. Independentemente da sua escolha, o tamanho deve ser de acordo com o número de cabeças. Todos os animais precisam ter acesso ao mesmo tempo ao que é oferecido no comedouro.

Dessa forma, evita-se a competição e todos alcançam o local com condições de usufruir da ração, silagem ou suplemento.

Se tem dúvidas sobre o tamanho, planeje um cocho que disponha de 70 centímetros por animal. Dessa forma, todos podem se alimentar ao mesmo tempo e o conflito por disputa de território e espaço é reduzido. Entre os modelos, o de cimento é muito utilizado no confinamento de gado. 

 

Bebedouros

Assim como a alimentação, a água é um fator fundamental para a engorda do gado.

Além da hidratação, a água dá condições do organismo do animal funcionar a pleno vapor. E não basta abastecer o bebedouro e deixá-lo à própria sorte.

Assim como o consumo de ração e suplementos precisa ser calculado por cabeça para oferecimento da quantidade adequada, o mesmo deve ser feito com a água.

Um bovino confinado precisa do consumo de água próximo a 12,5% do peso vivo.

Caso tenha condições, instale pisos ao redor do bebedouro ou até mesmo aplique cimento na área. Se preferir, o uso de cascalho, a quantidade ideal de cobertura é de até dois metros de largura.

 

Posso fazer confinamento de bezerros?

 

Os bezerros têm condições de serem criados no confinamento. Acima de tudo, introduza os animais nas baias apenas quando atingirem o peso mínimo de 180 quilos. Antes disso, não é indicado.

Na fase de cria, o bezerro confinado pode alcançar até 380 quilos. Para isso, temos que realmente focar em uma boa estratégia alimentar.

E assim como nas demais fases, o reforço é no cocho.

Alcançar esse peso é possível com a alimentação certa. E qual seria ela? Uma que dê condições de alimentação, engorda e nutrição. Isso mesmo, três em uma.

Para que você não perca tempo produzindo fórmulas por aí, para facilitar sua vida e sua lida, a Boi Saúde preparou um passo a passo de como produzir essa ração especial para os bezerros.

É só clicar aqui: quero receber a receita de ração para bezerros e conferir no seu e-mail. Vamos te enviar assim que você solicitar. E o melhor vem agora: sem nenhum custo. Tudo isso porque queremos desenvolver uma pecuária cada vez mais rentável e tornar o Brasil o número em produção de carne.

 

Doenças mais comuns

 

Acidose ruminal

Milho, sorgo, aveia e até outros ingredientes oferecidos em grandes quantidades e longos períodos podem causar a acidose. 

A acidose ruminal é o segundo maior problema de saúde enfrentado pelos produtores que confinam gado. O primeiro é o problema respiratório que vamos entender mais a frente. 

Quando o boi consome alimentação com alto índice de energia, acontece um acúmulo de ácidos no rúmen. Como resultado, a falta de apetite e a perda de peso acontecem. Ou seja, são sintomas que vão totalmente contra a produtividade rentável. Por isso, a importância de sempre balancear as rações entre concentrado e volumoso. E ainda, sempre acrescentar a virginiamicina na nutrição. 

 

Laminite

A laminite pode se apresentar como um dos sintomas da acidose. O principal impacto negativo é impedir que o bovino se desloque. Com o desenvolvimento da doença, o animal fica limitado para ir até o cocho, bebedouro e a incapaz de se locomover sempre que quiser ou sentir necessidade. Isso acontece porque é uma inflamação que atinge diretamente os cascos. 

Além da alimentação, implementar algumas atitudes como manter a higiene, evitando acúmulo de lama e fezes, e pedilúvio, que funciona como um lava-pés, ajudam na prevenção. 

Para saber como fazer o lava-pés, leia: Laminite bovina: inflamação que ataca os cascos. 

 

Timpanismo

É outro problema causado pelo excesso de grãos no cocho. Nesse caso, o animal não consegue respirar e tem uma salivação maior que o normal. Quando se deparar com bovino com espuma na boca, fique atento e acione o seu veterinário. Se diagnosticada no começo, a possibilidade de salvar o bovino é maior. 

A moderação de concentrados e uso de aditivos é a melhor forma de prevenção: Como evitar o timpanismo em bovinos.

 

Cuidados para prevenir doenças graves. Foto/ Grupo Mantiqueira
Promova sempre cuidados para prevenir doenças graves no gado. – Foto/ Grupo Mantiqueira

Doenças respiratórias

Infelizmente, as doenças respiratórias estão em primeiro lugar entre os problemas de saúde que mais acometem os bovinos confinados. Está aqui, inclusive, uma das justificativas de não exceder o limite de animais na baía. Quanto mais animais amontoados, mais chances de doenças respiratórias e de alto nível de contaminação.

A tuberculose e a pneumonia estão entre elas. No inverno, as chances de desenvolvimento são maiores. Então, além da atenção na engorda, não esqueça de sempre monitorar o comportamento do gado e atuar sempre, todos os dias, na prevenção de doenças. 

 

Dicas gerais para a prevenção

Insira sempre fibras na alimentação. Entendemos que o alto valor energético dos concentrados demanda uma engorda maior, mas é preciso balancear a alimentação para que esses problemas sejam prevenidos ao máximo.

Utilizar aditivos, como a virginiamicina.

Acima de tudo, acompanhar o consumo e manter uma rotina alimentar indicada. Dê preferência para abastecimento sempre nos mesmos horários.

Se precisar de apoio, contrate um zootecnista para melhor atender as demandas individuais da sua produção.

 

Melhores raças para confinamento de gado

 

Quando citamos acima que a engorda diária de um boi confinado depende de vários fatores, a escolha da raça ideal para o sistema está entre eles. 

 

Nelore

A raça que é paixão nacional pela produção de gado no Brasil. Por ser de origem indiana, tem uma adaptação muito favorável por aqui. Não é à toa que compõe 80% do rebanho brasileiro. Muito comum no centro-oeste, porém, se dá muito bem nas demais regiões. 

 

Tabapuã

Se a sua intenção for escolher uma raça 100% nacional, a tabapuã é a melhor pedida. Com um ótimo aproveitamento no confinamento de gado, a Tabapuã é considerada o zebu brasileiro. Traz as melhores qualidades das raças nelore e guzerá, que já estão muito bem adaptadas ao nosso clima e produção de carne. Tem porte grande e a média de idade de abate é de 30 meses.

Ficou interessado? Aprenda mais características: Tabapuã: zebu brasileiro ideal para confinamento.

Entre as indicações ainda temos a Gir, Angus e Simental. 

 

Respostas rápidas sobre confinamento de gado

 

Quando tirar o boi da engorda em confinamento? Monitore sempre o peso do bovino. Quando o animal atingir 450 quilos, na idade de 24 meses, chegou o momento de comercialização. E se o período for na entressafra, melhor ainda. Os preços estarão mais atrativos e a margem de lucro será maior.

Existem tipos diferentes de confinamento? Sim, pecuarista. Na verdade, são três tipos mais comuns. Existe o aberto, que é mais comum, quando a estrutura física é baseada apenas no cocho. O confinamento com cobertura é muito indicado para proteção dos efeitos climáticos. E por último o fechado, pouco adotado no Brasil por conta do clima ser muito quente.

Quais as raças mais indicadas? Nelore, Gir, Angus, Simental e Tabapuã são raças que apresentam bom desempenho quando confinadas. 

É preciso ter grandes extensões de terras para aderir o confinamento de gado? Não. Basta ter espaço suficiente para que cada animal fique confortável. A baía precisa ter em média, de 12 a 15 metros quadrados por animal. Isso indica que desde pequenas até grandes propriedades podem aderir o método, de acordo com o número de cabeças. 

 

Aumente seu lucro na pecuária

 
As nossas dicas e orientações para você melhorar seu lucro não param aqui, amigo produtor. Temos muito conteúdo prático que te orienta sobre eliminar gastos extras e focar nas ações que realmente te trarão uma produtividade maior. Para isso, acesse nosso canal. Diversos vídeos do nosso consultor, José Carlos Ribeiro, estão disponíveis. Aproveite o acesso, se inscreva e ative as notificações. Vamos juntos melhorar o produto que alimenta nossas famílias e milhões de brasileiros: Boi Saúde no YouTube.

 

Referência

Brasil bateu recorde de bois confinados em 2020, aponta censo. Giro do Boi. 18 de fevereiro de 2021. 
Confinamento de bovinos. Embrapa Gado de Corte. Coleção CRIAR.

Pecuária Eficiente. Phibro Animal Health Corporation.

Estratégias alimentares para gado de corte: suplementação a pasto, semiconfinamento e confinamento.

Confira os cuidados para oferecer milho ao gado de corte. GR Responde. Globo Rural.

Confinamento de bovinos de corte. Boletim técnico. Phibro Animal Health Corporation.

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*