Silagem de milho para gado: aprenda tudo sobre

Gostou? Compartilhe!

Salvação para muitas propriedades durante a seca ou até mesmo base alimentar do confinamento ao longo do ano, a silagem de milho é muito comum na pecuária brasileira.

Como a produção pode ser feita na propriedade sem segredos, a Boi Saúde te explica nesta dica, as principais dúvidas sobre o tema. Nosso objetivo é que você melhore seu lucro a cada nova safra e que o seu gado produza com mais desempenho e qualidade.

Se ficar alguma dúvida, deixe seu comentário ao fim do texto. Queremos te ouvir e saber como podemos, juntos, fazer do Brasil o maior produtor de carne do mundo.

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

O que é silagem?

 

A silagem é uma forma de alimentação que preserva os nutrientes do alimento base do preparo. Existem várias técnicas de preservação: secagem, que é uma das mais comuns; congelamento; adição de sal ou açúcar; radiação, acidificação e adição de componentes químicos.

Na silagem, basicamente, a conservação das vitaminas e valor nutritivo é feito por meio da fermentação. Alimentos que tenham alto teor de umidade são os que obtém melhor resultado.

Durante a fermentação, o processo de produção precisa fornecer condições para que microrganismos cresçam, mas ao mesmo tempo, evitar com que bactérias que possam causar algum dano à saúde do animal apareçam.

Existem diversos processos de produção e também de silos.

Neste conteúdo, vamos focar na silagem de milho. Entretanto, aqui no blog, você encontra muitas dicas sobre outros tipos de silagem: materiais sobre silagem para gado.

 

Quais os benefícios da silagem de milho para gado?

 

O milho é um grão com facilidade de cultivo no solo brasileiro e alto teor de energia. Em si, a planta inteira é considerada boa para a silagem. Garante alimentação em tempos de falta de pasto. Promove engorda o ano todo para os bovinos criados exclusivamente no confinamento.

Para se ter um melhor aproveitamento, é indicado o produtor aderir aos seguintes processos:

  • Utilizar sementes melhoradas;
  • Manter a fertilidade do solo sempre alta;
  • Preparar o solo, de acordo com a cultura pede;
  • Ter um manejo adequado.

 

silagem de milho para gado
Silagem de milho para gado é uma ótima opção para a seca. – Foto: Rubens Ferreira/@fotodeboi

Por que o milho é um alimento bom para bovinos?

 

Tem alta digestibilidade;

Produz silagem com padrão alto de qualidade;

É um alimento volumoso, considerado com alto valor energético;

Em animais com manejo adequado promove uma engorda de até 1,5 kg por dia em bovinos acima de 18 meses;

Estudos apontam que as vacas de leite, quando consomem silagem de milho, têm a produção aumentada. Principalmente quando se trata das vacas da raça Holandesa.

 

Como preparar silagem de milho?

 

Sempre mantenha seu solo fértil. Dessa forma, cuide do adubo e faça uso de fertilizantes. As pragas como ervas daninhas, plantas invasoras, cigarrinhas e cupins precisam ficar longe da sua plantação.

Algumas etapas fazem parte do processo de produção. Começando a partir do plantio do grão.

O ponto mais indicado para colheita do milho que será destinado para silagem é quando atinge 30% de matéria seca.

A explicação é uma só: nesse índice, o grão está com um valor nutritivo recomendado para alimentar e manter a saúde dos bovinos em dia.

 

Quando produzir e o momento para oferecer

Se antecipe em ter um estoque antes que não tenha nada para oferecer ao seu rebanho.

Como é possível estocar a silagem de milho, desde que o armazenamento seja feito com cuidado, assim que o milho atingir o ponto, produza a alimentação sempre que possível.

Uma informação que não pode passar batida é o quanto produzir de silagem. Prepare sempre a quantidade adequada para o número de animais, de acordo com o tempo que pretende oferecer.

Para se programar da melhor forma possível, tome nota da quantidade de consumo:

  • Vacas Leiteiras: até 20Kg/cabeça ao dia ou cerca de 3% do peso vivo;
  • Vacas Secas: 9 a 15Kg, por cabeça ao dia;
  • Touros: 1,5% do peso vivo;
  • Bezerros e novilhas: 5 a 6 Kg ao dia;
  • Gado em engorda: em torno de 3% do peso vivo.

A silagem de milho pode ser oferecida durante o ano todo. Em sistemas de confinamento, cuja alimentação é focada 100% no cocho, o uso durante todos os meses do ano é mais comum.

Já no sistema a pasto, as propriedades costumam utilizar mais na seca, em substituição da forrageira.

 

 

Preciso usar inoculante para silagem de milho?

Para que realmente a silagem tenha o sucesso esperado, a fermentação precisa acontecer.

Como ter certeza que realmente o material irá fermentar? Usando o inoculante. O nome parece estranho, mas a função é muito bem-vinda na pecuária.

O inoculante é um componente com bactérias responsáveis pela fermentação.

Claro que o uso não é obrigatório. O produtor que decidir não utilizar o produto no preparo da silagem de milho pode tranquilamente seguir com o processo normal.

Entretanto, o inoculante facilita na preservação da silagem, evitando a deterioração.

Se o interesse pelo uso bateu na sua porteira, clique neste conteúdo: Inoculante para silagem de milho é necessário?

 

Silagem de grão úmido

 

O grão úmido de milho também tem bons resultados na pecuária.

Se você está se perguntando porque oferecer esse formato de alimentação, as vantagens estão logo abaixo:

  • O custo é em torno de 15% menor;
  • Aumento da conversão alimentar que pode ser até 27% maior;
  • Proporciona maior ganho de peso (até 13%);
  • Custo de produção da arroba passa a ser menor;
  • O silo é dispensado das etapas de produção.

Quando a propriedade opta pela produção de silagem de grão úmido, o ponto de colheita muda. O grão passa a ser colhido quando atinge 30% de umidade e não mais de matéria seca, conforme o modelo tradicional. A umidade do próprio grão auxilia na preservação do milho que é ensilado.

Os cuidados necessários completos, você encontra aqui: Silagem de grão úmido é boa opção para os bovinos?

 

Com o que complementar a silagem de milho no cocho

 

A silagem é sim uma ótima opção. Mata a fome e mantém os animais nutridos. Entretanto, é um tipo de alimentação que não faz milagre sozinha. Na seca ou nas águas, no confinamento ou no pasto, complemente com ração e suplementos. Nas próximas linhas vamos justificar porque utilizar cada um deles e porque.

 

Equilíbrio entre os alimentos

Balancear a alimentação do gado com silagem de milho e outras alternativas garante um melhor desempenho. Inserir fonte de nitrogênio, como a ureia, por exemplo, é uma boa recomendação da Embrapa.

Ainda, oferecer outros elementos facilita e melhora a digestão e a conversão alimentar. Por isso, amigo produtor, fica a orientação: equilíbrio sempre entre volumoso e concentrado.

Sabemos que a pressa em engordar o gado e ver o resultado direto na balança é algo que move muito nosso negócio. Mas para isso, precisamos nos conscientizar e focar na saúde do gado. Grãos em excesso, a princípio, podem realmente parecer uma boa ideia. Porém, quando o gado consome em grande quantidade, algumas doenças têm mais chances de aparecer.

Fique tranquilo que aqui mesmo iremos explicar quais são elas.

Como a nossa rotina é realmente pesada, algumas informações passam batido, não tem como. Dar conta de tudo, em todos detalhes, é desafiador. Se quiser relembrar a diferença e o papel do concentrado e do volumoso, veja mais no link: Volumoso e concentrado: entenda a diferença.

 

silagem de milho e ração
Silagem de milho e ração, junto a suplementos, engordam o gado e aumentam a produtividade. – Foto: Boy Fotógrafo/@boyfotografo

Ração

A ração é um complemento fundamental para alimentar e engordar o gado diretamente no cocho.

Quando o produtor dá condições para que o bovino se desenvolva a partir do que é servido, a produtividade só tende aumentar. Mas, será que qualquer ração serve? Dicas de preparo existem muitas por aí. Entretanto, a que você abasteceu seu cocho ainda hoje tem dado o retorno esperado?

A ração é parte muito importante, por isso, não pode ser qualquer uma. Cada ingrediente tem uma função específica. Outro ponto que precisamos te informar é: cada fase precisa de uma ração diferente. Por que? Cada uma delas exige um esforço de crescimento e desenvolvimento diferentes.

Explicamos…
Na primeira fase, a cria, o bezerro não está apenas ganhando peso. Acima de tudo, está desenvolvendo o organismo. Sem contar que quando a propriedade foca na nutrição desde os primeiros dias de vida, a qualidade do produto será um diferencial no mercado.

Então, vamos te propor uma reflexão. A ração que você serve hoje cumpre esse papel? Não se preocupe se essa questão te causa alguma aflição. Lembre-se sempre que o papel da Boi Saúde é facilitar sua lida, promovendo conhecimento para que sua propriedade seja a mais lucrativa possível.

Com isso, aqui mesmo você terá acesso ao passo a passo de receitas de ração para cada fase:

É só clicar na receita que você mais precisa neste momento e receber o material imediatamente no seu e-mail sem custo nenhum. Ou seja, todos os materiais são gratuitos.

Os ingredientes são acessíveis e fáceis de serem encontrados. O custo de produção é baixo. Como resultado, o seu gado consome a ração ideal e o seu planejamento tem mais chances de bater as metas.

 

Suplementos

Ração, silagem e suplementos. Lendo-os assim parece até muita coisa para a pecuária. Mas, amigo produtor, te garantimos que não é. E não os encare como algo que está além dos seus investimentos. O retorno aparece e com arrobas expressivas.

O que precisamos realmente ter em mente é que o resultado positivo de uma criação bovina envolve vários fatores. A silagem de milho, assim como a ração e os suplementos, não consegue fazer a engorda sozinha.

O que é servido no cocho é apenas um dos fatores de atenção do manejo. Quando se une tudo o que o gado necessita em termos de alimentação, nutrição e prevenção de doenças, o retorno financeiro acontece.

 

Sal proteinado e sal mineral

Vamos bater em um tema que sempre reforçamos em nossas dicas e orientações. O uso do sal. Os pecuaristas que têm a ambição de sempre aumentar a produtividade a cada temporada fazem uso diário.

Por mais que o solo brasileiro seja muito fértil e que a forrageira escolhida seja a opção adequada para a sua região, nem todos os nutrientes, sais minerais, proteínas e vitaminas são encontrados no pasto.

E onde encontrá-los? No sal, direto no cocho. Para saber quais os elementos não encontrados na pastagem, faça uma análise do solo.

Em conclusão, com o resultado em mãos, você terá condições de oferecer o sal mais indicado. Inclusive, esse suplemento pode ser feito na própria propriedade, sem segredos e de uma maneira muito fácil.

Quer entender como? Te ensinamos como produzir o mais adequado que terá um bom resultado: receita de sal proteinado.

Na dúvida sobre qual sal oferecer, indicamos a leitura:

 

 

 

Ureia

O medo de servir ureia ronda muitas porteiras pelo Brasil. Como o oferecimento desse suplemento exige cuidados devido a chances de intoxicação, muitos preferem nem arriscar. Realmente, a propriedade que não adota o uso da ureia fica atrás daquelas que a oferecem no cocho.

Entendemos que muitos produtores já até perderam animais que consumiram ureia molhada ou até mesmo em dosagens maiores que a recomendada. Mas quando se atua com cocho coberto e quantidade adequada, os benefícios são gigantes.

Se você está no time daqueles que tiveram prejuízos pela perda de cabeças pela ureia, temos uma alternativa: o Total Ureia Premium. Única ureia que pode ser molhada no cocho sem causar nenhum dano à saúde do animal. O que isso significa? Em meio a tantos desafios e preocupações da lida, o uso da ureia deixa de ser um deles. Basta adicionar no cocho de acordo com a indicação de uso e usufruir dos benefícios.

Tudo o que o Total Ureia Premium oferece está descrito aqui, neste link: Total ureia premium: ureia que pode ser molhada no cocho.

Mas, se você é daquelas pessoas que preferem tirar todas as dúvidas possíveis, te oferecemos uma consultoria sobre o uso dessa nova ureia (a única no Brasil) e também dos outros suplementos citados nesta dica. É só clicar e agendar com custo é zero, ou seja, é um serviço gratuito: quero agendar minha consultoria sobre a ureia que pode ser molhada no cocho.

 

Virginiamicina

Um rebanho que ganho peso a cada fase é a meta de todo produtor. E com certeza é a sua. Além da silagem de milho, acrescente a virginiamicina no cocho.

Esse aditivo é um melhorador de desempenho que aliado a uma boa lida, prevenção de doenças e uma alimentação equilibrada, proporciona um ganho de peso acima do esperado.

A virginiamicina, que já é muito bem estabelecida no Brasil, faz com que o organismo do animal absorva todos os nutrientes de tudo o que é consumido por cada bovino. Como resultado, a engorda acontece sem erros.

Outro benefício de oferecer a virginiamicina é a prevenção de doenças digestivas. Quando reforçamos que a alimentação não deve ser baseada 100% em concentrados, há um bom motivo para isso.

A acidose ruminal e o timpanismo realmente são problemas de saúde bem impactantes na nossa pecuária. Os bovinos passam mal a ponto de não se desenvolverem como o esperado.

 

Doenças digestivas

Agora, por que temos que prevenir os problemas que atrapalham a digestão dos ruminantes?

Bom, a engorda começa pela boca, desde que o alimento é introduzido. Seja pasto, seja ração e até mesmo a silagem de milho.

A acidose acontece quando a fermentação dos grãos consumidos em excesso acontece muito devagar no rúmen. Quando os bovinos apresentam desidratação e falta de apetite, ligue o sinal de alerta. Consulte um veterinário para tentar reverter esse quadro o mais rápido possível.

Já que é muito relevante, que tal ler esse conteúdo e se precaver ao máximo? Acesse aqui mesmo: Acidose ruminal é evitada com simples ações na nutrição.

Sobre o timpanismo, a razão do surgimento é a mesma da acidose: excesso de grãos. Os sintomas são dificuldade de respirar e até de se mover. Imagine o sofrimento deste animal, amigo pecuarista…

Por isso, prevenir esse problema ao máximo faz parte do bem-estar animal e do protocolo das propriedades de sucesso: Como evitar o timpanismo em bovinos.

 

silagem de milho e grãos
Balancear grãos com alimentos volumosos, além da silagem de milho e doenças, evita doenças digestivas. – Foto: Rodrigo Paniago/@paniago_rodrigo

Rotina de uma pecuária de sucesso

 

Mesmo fazendo a lição de casa, com uma alimentação e suplementação impecáveis, outros fatores influenciam no ganho de arrobas.

 

Bem-estar animal

O conceito de reduzir ao máximo danos à saúde e promover bem-estar animal ganha adeptos cada vez mais. Não é um movimento da moda. É comprovado que gado bem tratado produz melhor.

Violência, chutes, uso de porretes, principalmente quando o gado está sendo fechado, devem ser eliminados da sua propriedade. Converse com os peões. Conscientize sua equipe sobre o bem-estar animal. Bovino com medo e estressado não se desenvolve como o esperado. Pelo contrário. Existem hoje diversos métodos para tocar o gado e que dispensam movimentos bruscos que até causam lesões e machucados.

 

Calor e frio em excesso

Além da ação do homem, outros eventos deixam os bovinos estressados. Um deles é o clima. Em primeiro lugar, quando expostos ao sol quente por longos períodos, acontece um fenômeno chamado estresse térmico.

Em segundo lugar, os efeitos negativos também são sentidos na balança. Incômodo, desidratação e até intoxicação acontecem em propriedades que não oferecem abrigo do sol quente. Caso a construção de um galpão não seja possível, inclusive, o uso desse espaço pode ser tanto para proteção de sol, tanto para proteção de chuvas, plante árvores. Corredores agroflorestais facilitam bem esse processo. Aderir ao sistema ILFP – Integração Lavoura, Floresta e Pecuária é outra indicação.

 

Evite doenças ao máximo

Os problemas digestivos são um ponto a parte que já citamos acima. No entanto, temos outras doenças a serem prevenidas. Com certeza, o responsável da lida do seu negócio tem um bom planejamento de aplicação das vacinas.

Algumas delas são obrigatórias. Em outras palavras, o comprador exige documentos que comprovem a aplicação. Caso contrário, a negociação não acontece. Essa exigência é muito comum na comercialização de produtos que serão enviados para fora do Brasil. Então, se está nos seus planos exportar a carne ou o leite produzido, siga literalmente à risca o calendário sanitário.

Os cuidados no momento da aplicação garantem a eficácia da vacina. Não descuide da higiene em nenhum momento. Faça um treinamento com as pessoas envolvidas nessa atividade da lida antes mesmo de fechar o gado. Reforce as orientações e acompanhe todos os passos para que o processo realmente cumpra o esperado: prevenir doenças graves.

 

Oferecer água de qualidade garante um gado saudável
Oferecer água de qualidade garante um gado saudável. – Foto: Fernando Lima/ @fernandorubbertank

Você beberia a água oferecida para seu gado?

 

Ao longo do texto, você pensou que de detalhe em detalhe, vamos construindo uma pecuária de sucesso.

E a água faz parte por ser um elemento fundamental para todo ser vivo. Quando se trata de produtividade acima da média, a água entra como uma aliada obrigatória.

Além de manter a água limpa, os bebedouros merecem atenção. Instale-os em locais de fácil acesso. E faça o monitoramento para evitar lama ao redor. Além de causar a doença do casco, o excesso de barro atrai bactérias, moscas e outros insetos que transmitem doenças.

Qual água oferecer? Sem cor, cheiro e sabor. Por exemplo, a mesma que nós, humanos, bebemos todos os dias. A quantidade precisa ser suficiente para o rebanho.

Se um bebedouro não for suficiente, instale outro. E assim por diante. A média de consumo diário de água por cabeça varia entre 22 litros (bovinos de até 250 kg) até 78 litros (quantidade do gado em fase de terminação).

 

Outros tipos de silagem para o gado

 

A silagem de milho realmente é uma das mais utilizadas na nossa pecuária. Porém, existem outras. Quando o preço do grão estiver em alta no mercado, busque outras opções. Sempre pesquise alternativas para que a alimentação não falte no seu cocho.

Para facilitar sua pesquisa, confira a seleção que fizemos especialmente para você:

 

Cana-de-Açúcar

A cana é bem servida in-natura. Mas o formato de silagem também cabe muito bem na alimentação dos bovinos.

Além disso, por ser outro cultivo muito fácil no nosso solo e ter a possibilidade de plantio na propriedade, conseguimos uma proporcionar economia de recursos.

Basta ter os maquinários indicados para facilitar a colheita e atuar na produção da silagem: Silagem ou cana-de-açúcar in natura para o gado?

 

Forrageira

Está entre as mais fáceis e acessíveis. Afinal, basta ter um pasto de boa qualidade. E assim como as demais indicações de silagem, prepará-la antes do período da seca.

Quando o capim está no ápice nutricional, o produtor terá condições de oferecer um melhor desempenho alimentar para os bovinos.

Mas não basta apenas fazer a silagem e oferecer. Em conclusão, para que a engorda seja expressiva, cuide bem da sua pastagem. Assim como já indicamos acima, cuide bem do solo, evitando pragas.

Escolha sempre uma espécie que seja muito produtiva na sua região. E ainda, que faça bom proveito na sua produção (carne ou leite) e fase do gado (cria, recria e engorda).

Se a silagem de forrageira é uma das suas opções, mais informações a respeito você encontra aqui: Como fazer silagem de capim elefante?

 

silagem de milho
A silagem de forrageira evita que o gado passe fome e auxilia na nutrição. – Foto: Opiniões iLPF

Sorgo

Sorgo é outro grão que faz parte da pecuária. Inclusive, a propriedade consegue até fazer um revezamento entre ele e o milho. Quando as altas dos preços estiver afetando um ou outro, ter possibilidade de conter despesas extras é importante.

Rico em amigo, o sorgo é um cereal. A nutrição é bem próxima a do milho, chega a 90%.

Essa alternativa faz parte da sua rotina? Independentemente da resposta, confira as informações:  Silagem de sorgo substitui o capim?

 

Muitas outras dicas sobre silagem e alimentação para gado de corte e de leite estão disponíveis no nosso canal de vídeos. O acesso é gratuito e você pode assistir quando e onde quiser: Boi Saúde no YouTube.

Referência:

CRUZ, Geraldo Maria da. PRODUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE SILAGEM DE MILHO PARA BOVINOS DE CORTE E LEITE.

Silagem Ácida de Milho com Grão Úmido para Gado de Corte. Circular Técnica, 24. Embrapa.

 
banner banner
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

×