Boi gordo: o que é e como criar

Gostou? Compartilhe!

A criação de boi gordo no Brasil é considerada um bom viés econômico devido ao retorno do investimento. Sem contar que dependendo do sistema adotado, é possível produzir e comercializar o ano todo.

Mais que ter esse tipo de bovino na propriedade, é preciso oferecer um manejo adequado para que tenham uma boa engorda e em consequência, lucro para a propriedade.

Se você tem interesse nessa produção tão característica da pecuária ou já adota essa forma de criação e quer potencializar seu negócio, a Boi Saúde vai promover nesta dica, orientações sobre o boi gordo.

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 

O conteúdo publicado aqui pode ser compartilhado com seus amigos de profissão e com os trabalhadores da sua propriedade.

E não esqueça de comentar lá no fim do texto o que achou, combinado?

Vamos lá!

 

O que é boi gordo?

 

Não tem como a gente falar sobre uma criação, sem explicar o que é esse tipo de bovino.

De acordo com o CEPEA/Esalq, o boi gordo é macho, que tem em média 16 arrobas líquidas ou mais e idade até 42 meses.

Chegar a esse peso pode parecer impossível para alguns produtores. Entretanto, neste conteúdo, você terá acesso a informações que te levarão a conquistar essas arrobas.

E mais, a partir dos conhecimentos adquiridos aqui, você irá atingir o peso do boi gordo, produzir uma carne de qualidade, com o rendimento de carcaça esperado pelo mercado. Dessa forma, sua propriedade será destaque na região e o lucro cada vez maior fará parte da sua realidade.

 

Boi gordo: o que é e como criar
Boi gordo é um bom investimento na pecuária. – Foto: Nelore Modelo

É possível criar o boi gordo o ano todo?

 

Sim. Muitos produtores têm a ideia de que é possível apenas durante as águas.

A seca também pode ser uma oportunidade desde que o produtor se prepare.

O sistema de confinamento é uma boa alternativa, já que não depende de pasto para a engorda que é feita à base de grãos.

O sistema de semi-confinamento também. Sendo nas águas à pasto e na seca, no confinamento.

Isso não quer dizer que na produção 100% à pasto não é possível atingir o boi gordo até os 42 meses de idade. Mas a dedicação na alimentação é maior.

 

Sistemas de criação do boi gordo

 

Todos eles promovem a criação de boi gordo com sucesso. Acima de tudo, tenha as atividades que cada exige, atendendo todas as necessidades. Faça o monitoramento e acompanhe o comportamento do rebanho.

 

Pasto

Sim, no sistema a pasto é possível ter uma produção de boi gordo. Quando a propriedade se prepara a ponto de ter alimento no período da seca, no momento em que há falta de forrageira, a engorda se mantém durante todo o ano.

O importante é seguir alguns protocolos que auxiliam a produtividade nesse tipo de sistema:

  • Escolher a forrageira adequada ao solo e região;
  • Fazer uma análise de solo para conferir quais elementos faltam. Assim, a complementação no cocho com sal mineral e sal proteinado será mais assertiva. O investimento realmente terá o propósito esperado e a engorda acontece de acordo com a expectativa;
  • Existem diversas técnicas que promovem o cultivo da pastagem mesmo na seca. Uma delas é a irrigação de pasto. Vários métodos estão disponíveis no mercado. Um deles pode caber no seu bolso. Outra alternativa é a vedação de pasto. E temos também o pastejo rotacionado.

Para todas essas indicações, você obtém mais informações aqui mesmo no blog:

 

Confinamento

Sem pasto e com alimento 100% oferecido no cocho, o confinamento é um dos métodos mais adotados para se criar boi gordo.

A alimentação baseada em grãos que contém alto teor de energia oferece uma engorda mais rápida. Por mais que o pasto seja o sistema de produção de gado mais adotado no Brasil, o confinamento cresce cada vez mais.

Mesmo que os alimentos concentrados sejam a base do gado confinado, o equilíbrio com os volumosos é essencial. Quando o animal consome basicamente só grãos, tem mais chances de desenvolver problemas de saúde, que em casos muito graves, levam o bovino a óbito.

Caso você ainda não saiba a diferença, te explicamos aqui: Volumoso e concentrado: entenda a diferença.

Uma alternativa para evitar essas doenças, como o timpanismo, por exemplo, é investir em suplementos melhoradores de desempenho. Esses aditivos atuam diretamente na saúde digestiva, impedindo que a saúde seja prejudicada. Não se preocupe que falaremos mais sobre esse tema aqui mesmo neste texto.

 

confinamento de boi gordo
Confinamento de boi gordo é um método de produção vantajoso. – Foto: RC Agropecuária

Além da alimentação

Outro ponto do confinamento é que o gado não perde energia ao se deslocar por grandes áreas. O espaço é mais restrito. O importante é seguir as regras de bem-estar animal, respeitando a medida de 10 metros quadrados por animal em baias individuais. Já nas coletivas, separe de 12,5 metros quadrados por animal a 15 metros quadrados por animal.

Ao contrário do que se pensa, todas as propriedades têm condições de aderir ao confinamento. Aquele pensamento de que apenas fazendas com extensões de terra a perder de vista estão adequadas para esse sistema ficou no passado. O pequeno produtor, não importa o número de cabeças, têm chances de implementá-lo e ainda, ter muito sucesso.

Entenda mais no link: Confinamento de gado em pequenas propriedades. 

A estrutura é ponto central, além da alimentação. Cocho e bebedouros instalados, sombra, água fresca… produzir boi gordo no confinamento vai além do que se oferece como fonte de engorda.

Se você pretende adotar esse sistema ou já o tem na propriedade, faça uma revisão de tudo o que precisa para ter o retorno financeiro esperado: Tipos de confinamento de bovinos de corte.

 

Semi-confinamento

Aqui, temos o sistema misto. Geralmente, adota-se o pasto nas águas e o confinamento na seca.

Por ser um período de desafios pela falta de pasto, muitos produtores preferem colocar o gado em baias e focar na alimentar com grãos e ração nutritiva. Além de não deixar os animais com fome, faz com que o processo de engorda continue, sem perda de arrobas.

Qualquer propriedade consegue implementá-lo, basta ter condições físicas, com instalação de baias e cochos.

 

Boi 777

 

Não é um sistema, mas sim um método. O Boi 777 pode ajudar a te dar uma base para alcançar os resultados do boi gordo. Ao todo, o objetivo é alcançar 21 arrobas em 24 meses.

Ao conquistar sete arrobas em cada fase da cria, recria e terminação, a valorização no mercado é maior, chegando ser até 30% a mais que os outros sistemas.

Se você achou esses números impossíveis de se alcançar, comece a mudar de ideia agora, a partir do modo como você cria seus animais. É possível atingi-los sim, desde que haja dedicação e foco 100% na engorda.

Claro que, assim como na criação do boi gordo, existe o combo de sucesso da pecuária que precisa ser aplicado.

Vários artifícios garantem conquistar essas metas. Alimentação, nutrição, bem-estar e um bom manejo garantem resultados diferenciados a ponto do seu produto ser destaque no mercado.

O sistema Boi 777 é lucrativo a ponto da Boi Saúde preparar um e-book para alcançar a meta. Adquira seu material gratuito: e-book sobre Boi 777.

 

 

Cuidados na alimentação

 

O que você oferece no cocho terá reflexo ao fim da safra. E no momento de negociação com o comprador. Não basta abastecer o comedouro com alimentos apenas para o gado comer. É preciso ir além. Atender a nutrição que cada fase precisa para o desenvolvimento saudável, te garante que os quilos extras apareçam.

Tem dúvida sobre o que oferecer? Então, foque toda sua atenção nas linhas abaixo.

 

Ração

Chegamos ao tópico que é a base de toda a engorda. Porém, não é toda e qualquer alimentação. É preciso ter cuidado para não prejudicar a saúde do animal.

Um engorda contínua, aquela que acompanha o gado em todas as fase, começa desde os primeiros meses de vida. Você tem condições de responder se a ração que seus bezerros consomem trarão um produto de qualidade?

Pois é, amigo produtor. É um ponto de reflexão muito importante. Quando o gado está na fase de crescimento, a importância passa a ser maior ainda.

Após a desmama e a introdução alimentar, uma boa ração já pode ser oferecida. Garantir que os bovinos mais jovens consumam a alimentação faz parte de uma boa pecuária.

Para evitar a competição com animais maiores, construa um creep-feeding. Nesse espaço exclusivo, os bezerros comem a ração tranquilamente. Ali, o produtor terá a certeza que eles estão se alimentando.

Entendemos que a dúvida sobre o que está sendo servido neste momento na sua propriedade aparece em diversas situações. Ainda, quando se trata de iniciar a nutrição.

Será que atende o que os bezerros precisam? Ou, a ração realmente tem condições de engordar esses novos animais? São perguntas frequentes. Não se sinta só. Muito menos culpado.

O questionamento sobre sempre oferecer o que há de melhor aparece nas melhores propriedades.

 

Então, o que e como oferecer?

A Boi Saúde te orienta, passo a passo, o que oferecer em cada fase para que você realmente atinja a meta do boi gordo.

Aprenda como fazer sua ração para bezerros: clique aqui e receba a receita gratuita.

A fase da recria também merece uma ração especial. Por ser a mais longa da pecuária, exige uma dedicação extra no cocho. Ainda mais por passar pela seca e pelas águas.

Além da ração, não descuide do processo de manejo que envolve vacinas. E também do controle máximo para evitar a presença de parasitas e verminoses.

Seu gado está nessa fase? Então, saiba como promover uma produtividade acima da média: Recria: perguntas e respostas.

Na terminação, o foco passa a ser ganhar os últimos quilos para atingir a meta. Mais que isso, o rendimento de carcaça passa a fazer parte do processo com mais atenção.

Aqui, entra outro tipo de ração para o boi gordo: como preparar receita de ração para terminação.

 

Silagem

A silagem, servida no período da seca diretamente no cocho, dá condições não só de ganho de peso, mas evita que o gado fique sem alimento.

Se na propriedade, o cultivo de grãos e cana é feito paralelamente à pecuária, o produtor consegue já produzir os silos e ensacar a alimentação. Armazenando o material de uma maneira que irá conservar o conteúdo, seu rebanho tem tudo para manter as projeções de ganho de arrobas na época de estiagem.

As produções a pasto se dão muito bem com esse tipo de planejamento.

Existem vários ingredientes que compõem a silagem. Desde grãos, passando por cana, até mesmo a própria forrageira.

Com essa variedade, o produtor consegue driblar a alta de preços e escolher qual a mais viável economicamente.

Se o milho estiver em alta, passe para o sorgo, e assim por diante.

Só fique de olho no processo de produção. Dependendo do material, alguns pontos, antes mesmo do armazenamento podem mofar. Não armazene com as partes saudáveis para evitar contaminação.

Você sabe qual o consumo de silagem por boi? No momento de preparo, programe-se para produzir quantidade suficiente, a partir no número de cabeças que você tem na propriedade. No nosso caso, produção de boi gordo, o consumo gira em torno de 3% do peso vivo por dia.

Confira mais informações sobre silagem:

 

Grãos

Muito utilizado no confinamento, como já citamos, a alimentação baseada em grãos dispensa uma energia extra aos bovinos. Quando não gasta, ela se acumula em quilos que resultam diretamente na balança.

Além do milho e da soja muito utilizados, temos como opção o caroço de algodão, milheto, sorgo e muitas outras opções.

O importante é sempre se informar sobre o valor nutricional que irá oferecer e a qualidade do alimento. Sempre em caso de dúvidas, consulte o veterinário ou zootecnista de confiança.

Se você é adepto desse tipo de alimentação, atente-se sobre a prevenção de doenças de trato digestivo. Vamos explicar mais a frente sobre como fazer a prevenção.

Balancear com o volumoso é adequado e protege a saúde do gado. E em tempos de preços altos, alivia a conta do mês.

Mesmo em sistema a pasto, na seca, os grãos são utilizados em muitas propriedades, no cocho.

Separamos alguns temas relacionados que possam te interessar:

 

alimentação para boi gordo
Existem várias formas de alimentação para boi gordo, a silagem é uma delas. – Foto: Sifra Imobiliária

Forrageira

Já que o pasto é a principal fonte de engorda do gado no Brasil, não iríamos deixá-lo de fora.

Servido desde pequenas até grandes áreas, direto no cocho ou até mesmo como silagem, gado em todos os regimes de produção fazem uso da forrageira.

O que realmente importa aqui é escolher um capim de boa qualidade. E ainda, mantê-lo saudável em todas as épocas do ano.

Isso porque existem vários insetos e parasitas que causam danos não apenas na pastagem. Mas atingem diretamente o gado, provocando verminoses, entre outras doenças que promovem sofrimento e queda de peso.

Além de todas as orientações que citamos acima, temos que ir além delas. Cupins e cigarrinhas roubam os nutrientes e impedem que o gado tenha livre acesso a todos os locais.

No caso do primeiro, especificamente, impede que a lida de outras culturas seja feita com o trator. Temos também as plantas invasoras, incluindo as ervas daninhas.

A nossa intenção é que você não fique desanimado. Todos esses problemas são controláveis. O pasto, assim como o rebanho, precisam de monitoramento. Ao primeiro e menor sinal, ataque o foco.

 

Suplementação para boi gordo

 

Para atingir o resultado de boi gordo, com peso indicado, índice de gordura adequado e com um rendimento de carcaça que dará o lucro maior, a alimentação sozinha não é o suficiente.

Em primeiro lugar, a nutrição que o organismo precisa para se desenvolver não é encontrada 100% no pasto ou na ração. Em segundo lugar, no caso do uso de grãos, proteger o organismo contra doenças digestivas é uma das funções dos aditivos.

O investimento em suplementos tem retorno financeiro. Hoje, no Brasil, é muito difícil atuar na pecuária e ter bons resultados sem o uso desse reforço.

Para tirar todas as suas dúvidas, vamos esclarecer o uso de cada um deles nas próximas linhas.

 

Sal mineral

Provavelmente, ou você usa ou já ouviu falar muito sobre o sal mineral.

Composto por diversos nutrientes, entre eles, minerais essenciais para o desenvolvimento e aumento de peso, tem fácil manejo, com oferecimento direto no cocho.

Muitos produtores utilizam na seca. Mas se quiser fazer um reforço extra e prevenir a queda de peso na período de estiagem, vamos propor uma alternativa.

Ofereça sal mineral nas águas, quando a falta de minerais é maior. E na seca, o substitua pelo sal proteinado, quando as proteínas faltam. Explicaremos mais sobre ele no tópico seguinte.

 

Sal proteinado

O sal mineral enriquecido com proteínas salva a produtividade de muitos negócios na falta de pasto.

Simples, com ingredientes fáceis de serem encontrados e o melhor ainda, pode ser feito na pelo produtor.

Existem diversos tipos disponíveis no mercado, mas o feito na propriedade, atende o que realmente seu gado necessita.

O sal proteinado também tem a função de garantir a manutenção da saúde do gado.

Quer ver para crer como fazer seu próprio sal não é difícil?

Receba a receita completa, com os ingredientes, proporção de cada um e como fazer, direto no seu e-mail.

Clique para receber imediatamente: quero a receita de sal proteinado grátis.

 

Ureia

Quem a usa com todas as recomendações para evitar a intoxicação, não tem do que reclamar. A ureia aliada ao sal no período da seca, evita que todo o trabalho conquistado nas águas se perca.

Se você é do time que não oferece esse componente, que é fonte de nitrogênio, por medo de perder os animais devido aos cuidados, utilizar o Total Ureia Premium é a saída.

Por ser uma tecnologia inovadora, permite que a ureia seja molhada no cocho. Ou seja, mesmo as propriedades que não têm cobertura nos comedouros podem utilizá-la.

Outro ponto positivo: o Total Ureia premium não precisa de adaptação. Logo que chega na propriedade, pode ser oferecido no cocho, de acordo com a dosagem recomendada.

O sabor é mais aceitável quando comparado com as demais ureias disponíveis no mercado.

Se quiser saber mais, agende uma consultoria sem nenhum custo.

Agora, se você já tem um estoque da ureia pecuária de outra marca na sua propriedade, fique atento aos cuidados.

O suplemento não pode ser molhado ou consumido acima da dosagem diária. E sirva apenas a do tipo pecuária. A ureia agrícola causa problemas de saúde aos animais: Tudo sobre ureia para bovinos: confira os cuidados.

 

Viginiamicina

Esse suplemento muda a realidade de quem usa. Considerada um aditivo, a virginiamicina promove uma melhora no desempenho do gado. Tudo isso, a olhos vistos e resultado direto na balança.

Quando o gado consome muitos grãos, o uso desse composto é indicado por especialistas. Por atuar diretamente nas bactérias gram-positivas, consegue reverter problemas como acidose ruminal e timpanismo.

Se o boi desenvolve esses dois problemas de saúde, a dificuldade de engorda acontece e o produtor tem como resultado apenas prejuízo. Por isso, o investimento em virginiamicina é indicado.

As propriedades que trabalham com boi no pasto também tem o uso indicado. O aditivo capacita o aumento de peso ao reforçar que todos os nutrientes consumidos na ração e no sal (não importa o tipo), sejam absorvidos pelo organismo.

Os adeptos do Boi 777 são muito beneficiados. O aditivo é uma das forças para se alcançar as metas de 21 arrobas em 24 meses. Se esses números acontecem em um método de criação, imagina o desempenho que fará para a sua produtividade no dia a dia.

 

 

Gordura

 

Fique atento à gordura da carne que é produzida. Não pode ser em excesso e nem em pouca quantidade.

Com a gourmetização da carne cada vez mais popular, algumas empresas fazem questão ter um produto que atenda os consumidores que estão mais exigentes com o passar dos anos.

Você já pensou o que irá fazer para atender essa demanda? Ainda mais se pretende ou já atua com mercadoria para exportação?

Mas fique tranquilo, a Boi Saúde te oferece conteúdos para que sua propriedade se aprimore:

 

Manejo e lida do boi gordo

 

Vamos para refletir como está o seu manejo? Quanto mais focado no bem-estar, melhor o resultado.

Estudos nacionais e internacionais apontam que a pecuária que respeita o animal é aquela que tem mais projeção de engorda.

O estresse é um dos responsáveis pelo mau desempenho e até tem impacto no ganho de peso. O problema acontece a partir da liberação do cortisol, hormônio que causa vários efeitos negativos no animal.

Por isso, amiga/amigo pecuarista, acolher bem o animal desde as primeiras horas de vida é fundamental. E em todas as fases.

E não esqueça do trato do dia a dia. Vacinas, higiene, monitoramento para checar se há algum comportamento anormal que possa apontar alguma dor ou sofrimento.

Violência nem pensar. Tocar o gado a pauladas e porretes ficou no passado. Tratar os animais com respeito só te trará benefícios.

Se você tem dúvidas sobre vacinas, confira a dica: Vacinas para bovinos: confira perguntas e respostas.

Nós da Boi Saúde sempre alertamos: a pecuária não é uma tarefa fácil. Para se ter bons resultados é preciso superar os desafios e estar atento a tudo.

 

lida do boi gordo
A lida do boi gordo conta muito nos resultados. – Foto: reprodução/gado de raças

Como você trata seus bovinos machos?

 

Como o boi gordo é um bovino do sexo masculino, algumas particularidades fazem parte do manejo. Vamos descrever cada uma delas aqui para te informar sobre os cuidados necessários.

 

Descorna

Fazer a descorna ainda no bovino na fase de cria é o mais indicado. Ao impedir o crescimento dos chifres, a propriedade ganha mais espaço e evita alguns episódios como ferimentos entre brigas e conflitos pela liderança do bando e território. No momento do transporte, o espaço passa a ser maior no caminhão.

O processo pode ser feito na propriedade, desde que com cuidados e higiene. Utilize os instrumentos necessários. E sempre que surgir alguma dúvida sobre o processo, consulte o veterinário de confiança.

Agende o procedimento para o fim da seca, época com menos incidência de infecções pelos parasitas.

Os dois tipos de descorna mais comuns no Brasil estão orientados no link: Quando e como fazer a descorna em bezerros.

 

Castração

O resultado é animal mais manso e com bom rendimento de carcaça. Essas são algumas vantagens.

Os animais não destinados à reprodução têm a indicação de serem castrados. A retirada dos testículos, por meio de cirurgia, faz com que os espermatozóides não sejam mais produzidos.

Com as alterações hormonais, a cor da carne, assim como a maciez, ficam mais evidentes.

Confira na dica quando e como fazer a castração de boi. 

 

Transporte

 

Não basta fazer todo o trabalho de forma correta e no momento do transporte, o animal ter a carcaça danificada ou até mesmo chegar com a carne escura no frigorífico.

Sim, há cuidados que precisam ser tomados para também evitar prejuízos e aquele bovino ser descartado.

Desde o embarque até o cálculo do trajeto, permitindo descanso para a carga, algumas medidas precisam ser tomadas. Supervisione o caminhão e o espaço. Se necessário, faça uma limpeza. Em viagens longas, água e ração devem ser oferecidas.

Essa questão é de extrema importância. Por isso, te convidamos a saber mais o assunto nas dicas sobre o tema:

 

transporte de boi gordo
Cuidados no transporte de boi gordo evitam acidentes e prejuízos. – Foto: Zoião Transporte Bovino

Quer mais orientações sobre pecuária e resolver de uma vez por todos os problemas que impactam sua produtividade? Acesse nossas dicas em vídeo.

Nosso canal tem acesso livre e gratuito para você assistir o conteúdo sempre que desejar: Boi Saúde no YouTube.

 
banner banner
 

Perguntas Frequentes

 

O que é o boi gordo?

De acordo com o CEPEA/Esalq, o boi gordo é macho, que tem em média 16 arrobas líquidas ou mais e idade até 42 meses.

É possível criar o boi gordo o ano todo?

Sim, tanto no período das águas, quanto no da seca. O sistema de confinamento é uma boa alternativa, já que não depende de pasto para a engorda que é feita à base de grãos.

Como

Estudos nacionais e internacionais apontam que o melhor manejo é aquele que tem mais projeção de engorda. O estresse é um dos responsáveis pelo mau desempenho com impacto na engorda, a partir da liberação do cortisol, hormônio que causa vários efeitos negativos no animal.

É possível criar boi gordo com o sistema Boi 777?

O método Boi 777 pode ajudar a te dar uma base para alcançar os resultados do boi gordo. Ao conquistar sete arrobas na fase da cria, recria e terminação, a valorização no mercado é maior, chegando ser até 30% a mais que os outros sistemas.

Foto da capa: Nelore Modelo

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*