Pastejo rotacionado: como atingir o ápice nutricional do capim

Gostou? Compartilhe!

Nesta dica, você vai aprender como fazer um sistema de pastejo rotacionado na sua propriedade, amigo produtor. Além disso, você também irá encontrar algumas dicas fundamentais para colocar esse método em prática.

O objetivo é bem simples: proporcionar mais resultados dentro da sua propriedade.

No final do texto, não deixe de comentar o que achou das dicas. Caso tenha alguma dúvida, escreva pra gente também, combinado?

Vamos lá!

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 

 

O que é pastejo rotacionado?

 

Em primeiro lugar, o sistema de pastejo rotacionado consiste na divisão da propriedade em piquetes onde serão colocados todo o seu rebanho de uma única vez em apenas um espaço, enquanto os demais piquetes descansam e aguardam para a futura utilização de todo o gado, fazendo uma espécie de rodízio.

Esse procedimento faz com que o gado consuma uma pastagem sadia e com alto teor nutricional. Enquanto isso, as outras estão se desenvolvendo e se recompondo.

Então, todas as vezes que o gado é transferido de piquete, de acordo com o pastejo rotacionado, a área que receberá os animais estará com o pasto adequado. Ou seja, em boas condições para suprir as demais demandas nutricionais.

Ainda dentro do sistema de pastejo rotacionado, além de grande quantidade de capim, um dos focos é atingir o ápice nutricional do pasto, que chega ao amadurecimento em cerca de 30 dias.

Por isso, o descanso, de pelo menos 30 dias de cada piquete, é fundamental para que o gado usufrua do pastejo rotacionado da melhor forma possível. Além disso, serve também para que o produtor tenha retorno financeiro esperado, a partir do aumento da produção de leite e de peso no gado de corte.

Contudo, uma forma muito utilizada no Brasil é o piquete retangular. Nesse formato há um melhor aproveitamento de área, sem desperdício de espaço com maior divisão da área por piquetes.

 

O sistema tem diversas vantagens

 

  • O rebanho fica em área delimitada, o que proporciona mais segurança ao proprietário e funcionários;
  • Tem ótimo desempenho para gado de leite e gado de corte;
  • Maior dificuldade de o gado adquirir carrapato, pois estará em uma área por um curto período.

 

Pastejo rotacionado. Foto: Fazenda Basa
Pastejo rotacionado. – Foto: Fazenda Basa

Como manter a rebrota do pasto?

 

O período de descanso é fundamental para que a rebrota aconteça. Quando o gado come toda a pastagem, não deixando condições para que a recuperação aconteça, o pastejo rotacionado passa a ser em vão.

Para isso, programe sempre que o ciclo seja sempre intercalado entre período de descanso e período de pastejo. Só assim, o resultado será o esperado.

Além do período de descanso, o produtor precisa estruturar muito bem o manejo daquele pasto. Adicionar o adubo quando necessário,

Para que a rebrota aconteça no tempo e em condições adequadas, siga as orientações:

  • Evite ao máximo o superpastejo;
  • Use fertilizantes sempre que houver necessidade;
  • O tempo de rebrota depende não só da espécie, mas também do clima. Fique atento à essas condições para não inserir o gado antes do tempo ideal de recuperação;

 

Espécies indicadas para o pastejo rotacionado

 

Leve em consideração sempre o clima e região da sua propriedade. O tipo de produção também. Gado e leite exigem índices nutricionais que precisam ser atendidos. E as pastagens podem facilitar bastante nesse quesito.

Pastagens com consórcio entre gramíneas e leguminosas são as mais indicadas para esse formato de produção.

Escolha espécies de rápido crescimento. Não descuide em momento algum de parasitas. As pragas como as cigarrinhas e formigas cortadeiras impactam negativamente o pasto.

 

Estrutura dos piquetes

 

São necessárias cercas e também bebedouros para montar os piquetes. Entenda que quanto mais piquetes decidir montar, maior será o investimento.

Ainda não sabe se é o momento para a instalar de novas cercas e bebedouros? Estude as finanças da sua propriedade. Quando se tem tudo contabilizado de forma simples e direta, é possível tomar a melhor decisão a respeito do quanto pode-se investir naquele momento.

Equilibrar o caixa da propriedade faz com que o negócio não fique no vermelho e priorize o que é necessário naquele momento.

Você já faz esse tipo de controle financeiro? Caso negativo, você tem a oportunidade de começar agora mesmo.

É só adquirir um modelo exclusivo para propriedades rurais que criam gado. Clique e receba grátis direto no seu e-mail: planilha de controle de contas.

 

pastejo rotacionado
Pastejo rotacionado melhora a alimentação e nutrição na seca. – Foto: Embrapa

Além da pastagem, como manter o ganho de peso em dia

 

A Boi Saúde entende que um dos maiores desafios do produtor rural é manter o ganho de peso na época da seca.

E mesmo com o pastejo rotacionado feito da maneira mais eficiente possível, ele sozinho não consegue fazer todo o trabalho para que lá no fim da temporada sem chuvas, o peso não seja tão negativo na balança.

Um dos prejuízos que mais tornam uma propriedade rural com fluxo de caixa negativo é não ter gado no peso ideal para a venda. E o que você pode fazer para evitar isso?

Implementar uma rotina de cuidados diários que evitem ao máximo essa perda de peso na seca.

Em primeiro lugar, comece o planejamento ainda nas águas. Caso opte pelo pastejo rotacionado, siga as instruções citadas aqui nesse conteúdo.

Em segundo lugar, complemente muito bem o seu cocho. O pasto sozinho não consegue dar conta de alimentar, nutrir e engorda o gado.

A solução para se ter o lucro esperado, te contamos a seguir.

Complementação do cocho na época da seca

 

Caso você esteja lendo este conteúdo durante a seca e não tenha tempo hábil para implementar o pastejo rotacionado ainda na época vigente, pare de se preocupar.

A solução para a perda de peso do seu gado é bem simples. O sal proteinado, por exemplo, pode ser feito na propriedade.

Esse suplemento enriquecido de minerais e proteínas fornece o que não é encontrado nas pastagens durante a seca, principalmente as proteínas, tão escassas nessa época, devido a falta de chuvas.

O custo de produção é baixo e os resultados são muito positivos. A indicação de uso é feita por diversos especialistas e entidades, entre elas, a Embrapa.

Aprenda como fazer seu proprio sal proteinado, com os ingredientes, proporções e modo de preparo. Clique aqui e ganhe a receita completa grátis.

Existem outros suplementos e aditivos que conseguem otimizar ainda mais seu desempenho. Ainda mais se a sua meta é produzir boi gordo e entregá-lo ao mercado na entressafra.

 

Entenda o papel de cada um deles:

 

Ureia

Fonte de nitrogênio, quando aliada ao sal proteinado reduz e muito a perda de peso na seca. Vale muito a pena inseri-la no dia a dia da sua pecuária. Ainda mais agora que temos uma alternativa que não causa intoxicação no cocho, mesmo quando consumida molhada pelo gado. Ficou curioso? Te explicamos com detalhes no link: Total ureia premium: ureia que pode ser molhada no cocho.

 

Virginiamicina

Aditivo melhorador de desempenho. Muito utilizada em propriedades que desejam alcançar um produto de qualidade baseada no giro rápido. Previne doenças digestivas e atua no rúmen, aumentando a engorda.

 

Sal mineral para o gado

Sim! O sal mineral para o gado, não estranhe ao ler essa indicação. O ideal é que o sal seja oferecido durante todo o ano. Faça a seguinte divisão: sal mineral nas águas, quando a deficiência de minerais é maior. E sal proteinado na seca, quando a falta de proteínas impacta o peso do gado.

 

Dicas rápidas sobre o pastejo rotacionado

 

  • Nunca deixe o pasto muito baixo para efetuar a troca de piquete, que deve ser feita a cada 30 dias;
  • Antes de produzir os piquetes, mensure quantos animais você tem. O tamanho da área deve ser adequado com o número de cabeças por hectare. O conforto e pastagem para todos deve se garantida.
  • O produtor deve ter um bom planejamento de cada piquete para ter uma administração certa e eficiente do sistema;
  • Para que o funcionamento correto, é necessário ações complementares eficientes como: luz, calor, umidade, fertilidade do solo, além de cuidados do produtor.

 

Quer continuar no assunto? Clique na dica abaixo: Como fazer o manejo de pastagem 

Por fim, adquira mais conhecimentos, amigo produtor.

Além do blog, a Boi Saúde oferece dicas gratuitas em formato de vídeo. No nosso canal, você encontra tudo o que precisa para aumentar seu lucro na pecuária.

Todo o conteúdo disponibilizado por lá é atualizado toda semana! Então, acesse agora e aproveite: Boi Saúde no YouTube.

Até a próxima!

Referência

Área de piquete e taxa de lotação no pastejo rotacionado. Comunicado Técnico 101. Embrapa.

Foto de capa: Embrapa

 
banner banner
 

4 pensou em “Pastejo rotacionado: como atingir o ápice nutricional do capim”

  1. Marcílio Sant Ana disse:

    Parabéns pelos artigos. Excelente. E essas outras dicas que podemos acessar durante a leitura do texto ficaram ótimas. Maravilha. Grande Abraço!

    1. José Carlos Ribeiro disse:

      Olá Marcílio, seu comentário é muito importante para nossa equipe! Nosso objetivo é facilitar o acesso à informação, para que nossa pecuária seja cada vez mais forte! Muito obrigado por estar com a Boi Saúde!!

  2. Fabrício Ribeiro disse:

    Parabéns pelo conteúdo. O pastejo pode ser aplicado em áreas de morro? Caso positivo, quais sãos os cuidados a serem observados?

    1. José Carlos Ribeiro disse:

      Olá Fabrício, obrigado pela pergunta, sugiro que envie um e-mail para “contato@boisaude.com.br” para que possa obter uma resposta completa! Continue nos acompanhando, abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*