fbpx

Pastejo rotacionado e vedação: diferenças e vantagens

 
banner banner
 

A falta de pasto atinge boa parte dos produtores rurais durante a seca. O resultado é perda de peso e ver todo o investimento feito no período anterior ir para o ralo. Algumas técnicas que custam barato aliviam esse problema e melhoram a produtividade. Entre elas, o pastejo rotacionado e a vedação de pasto.

Existem diferenças entre esses dois métodos. E para tirar suas dúvidas e garantir um melhor aproveitamento dos recursos da sua propriedade, entenda a função de cada um deles para te auxiliar no planejamento e tomada de decisão mais assertiva com foco na melhora do desempenho da sua produtividade.

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 

O que é pastejo rotacionado?

 

Com o objetivo de aumento da produção de carne por hectare, o pastejo rotacionado foca na engorda do gado com o uso intensivo de pasto.

Ao dividir a área em piquetes que não serão utilizados ao mesmo tempo, o pasto em descanso se recupera, fica mais nutritivo e com quantidade adequada para promover a engorda esperada.

Ainda, ao se deslocar por uma grande quantidade de terra, o gado economiza mais energia, focando assim no ganho de peso.

Tem bons resultados quando utilizado nas águas e na seca, precisa de boa manutenção e irrigação para manter o pasto verde.

 

Piquetes por área

 

O ideal é que cada piquete tenha um descanso de 35 dias até ser ocupado de novo. Fique atento à altura do capim no momento de inserir os animais novamente em um piquete recuperado e ainda, com massa de folhas ideais.

O número de piquetes vai depender do número de animais e do tamanho da área. Geralmente varia de três até 40. No caso de quatro divisões, indica-se a ocupação por 10 dias e descanso de 30.

A Embrapa orienta que sejam cinco animais adultos por hectare. Essa medida já nos dá uma ideia sobre a área a ser reservada, a partir do número de cabeças de cada propriedade.

Ainda, evita o chamado pisoteio, quando há um número de cabeça a mais na área que agride a pastagem, dificultando a rebrota.

 

Como funciona o pastejo rotacionado?

 

Selecione sempre a região com o melhor capim da propriedade. Isso é, aquele que cresce sempre forte e com bom volume. Você também pode utilizar algumas técnicas para que esse pasto esteja sempre em crescimento e recuperação no tempo esperado. Por exemplo, o uso de irrigação, adubos e fertilizantes.

Se você ainda está em fase de implementação do rotacionado, saiba quais são as melhores espécies de forrageira para o sistema: Mombaça e Tanzânia. Entretanto, depende muito da sua região e também do clima. Caso você não cultive essas forrageiras e tem bom resultado a pasto, siga com o plano.

 

pastejo rotacionado
O pastejo rotacionado é um dos métodos para se ter pasto de qualidade. – Foto: Rodrigo Paniago

Durante o planejamento, não esqueça de incluir o custo das cercas. Esse item é essencial para o sucesso do pastejo rotacionado, pois impede que o gado invada os demais piquetes que estão em descanso e em recuperação.

 
banner banner
 

Especialistas indicam o uso da cerca elétrica, mas fique atento a manutenção e voltagem para não causar danos sérios aos animais: Cerca elétrica para gado: como usar?

Além do pasto, a suplementação é indicada. Sirva em cochos que fazem corredor com todos os piquetes, se possível, da mesma forma que o bebedouro precisa estar disponível também.

 

O que é vedação de pasto?

 

Vedar parte do pasto para usufruir na seca é o objetivo desse sistema. Ao contrário do pastejo rotacionado, uma parte do pasto aqui é literalmente vedada.

O foco é aumentar a capacidade de alimento durante o período sem chuvas. Todo produtor sabe a dificuldade de se ter pasto de qualidade no período seco. E a vedação é uma alternativa. Entretanto é preciso planejamento.

A recomendação é que o vedar o pasto em duas etapas e já no terço final do verão. A parte que foi vedada primeiro será consumida antes. Entre as espécies recomendadas, a braquiária é a mais indicada: Braquiária: entenda tudo sobre.

Exemplo:

  • Ofereça a parte vedada ao fim de fevereiro entre junho e julho;
  • A segunda parte, vedada em março, mês que marca o fim das chuvas, será reservada para agosto e setembro.

Mesmo que o seu pasto seja manejado corretamente e tenha boa qualidade nas águas, na seca, a suplementação entra como reforço nutricional no cocho. Por isso, além do sal proteinado, a ureia é uma ótima recomendação de baixo custo que previne a queda do peso.

 
banner banner
 

 

Qual a melhor estratégia: vedação ou pastejo rotacionado?

 

A melhor estratégia é aquela que é implementada com um bom planejamento. Ambas opções necessitam de estudo para que tenham sucesso, além de checagem sobre estrutura, custo e mão de obra adequadas.

A alimentação na seca realmente é uma dificuldade para os produtores. Em tempos de altos preços, caso seu pasto esteja seco ou não tenha a qualidade e quantidade suficientes para vedar, invista em silagem e também em ração de baixo custo, sim, elas existem e são fáceis de serem formuladas.

Para mais orientações sobre pecuária com lucro e de sucesso, acesse nosso canal: Boi Saúde no YouTube. 

 

Referência:

O que é importante saber sobre o pastejo rotacionado. Perguntas Frequentes, Embrapa.

Uso intensivo de pastagens. Comunicado Técnico. Embrapa Gado de Corte.

É hora de vedar a pastagem e reservar alimento para época seca. Embrapa Notícias.

 
banner banner
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

×