Sal mineral para bovinos: para que serve?

Gostou? Compartilhe!

O sal mineral para bovinos é item essencial na boa pecuária. Alguns produtores o utilizam, muitas vezes sem ter ideia do poder que esse suplemento proporciona aos bovinos.

Pensando nessa dúvida que cerca várias propriedades e também para promover um conhecimento, a Boi Saúde separou neste conteúdo informações além da utilidade do sal mineral.

Ao longo do texto, você terá acesso a dicas sobre como melhorar a produtividade e ir além das arrobas já planejadas.

A partir disso, te perguntamos: será que apenas esse tipo de sal é suficiente para manter a engorda e evitar a perda de peso devido à falta de pasto no período da seca? Ou será que nas águas também posso utilizá-lo?

Vamos saber as respostas e muito mais nas próximas linhas.

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

O que é o sal mineral?

 

É um sal composto com minerais essenciais para a saúde dos bovinos. Formulado por macro e microelementos, favorece a engorda e a nutrição, repondo o que o organismo precisa para manter a produtividade em dia.

 

Para que serve o sal mineral para bovinos?

 

O sal mineral precisa fazer parte do dia a dia da pecuária. É um elemento complementar na alimentação, já que supre as necessidades nutricionais não encontradas na ração e na pastagem.

Quando o gado não consome os minerais em quantidade adequada, a produção de leite e carne tendem a cair.

A composição é feita a partir da mistura de diversos ingredientes. Para saber qual o ideal para sua propriedade, é preciso conhecer as deficiências do solo.

Dessa forma, poderá garantir uma suplementação balanceada e equilibrada para seu gado.

Por exemplo, se o fósforo e o cálcio não estiverem quantidade adequada no seu pasto, o sal mineral escolhido precisa ter grande concentração desses elementos. Inclusive, esses dois citados, são fundamentais para garantir uma boa reprodução às matrizes.

Ainda, os minerais são responsáveis por prevenir:

  • Abortos nas matrizes;
  • Crescimento lento dos bovinos;
  • Fraturas;
  • Queda na resistência orgânica.

 

sal mineral para bovinos para que serve
Entender as funções do sal mineral para bovinos melhora o foco do uso do suplemento. – Foto: reprodução/ Rural Book

Quais são os componentes do sal mineral para bovinos?

 

O sal mineral para bovinos é tem como ingredientes micro e macroelementos.

Cada um deles tem papel individual na saúde do animal, promovendo um bom funcionamento do organismo e ainda, dando condições para que a engorda aconteça.

Segunda a Embrapa, são eles:

Macrominerais: Cálcio (Ca), Fósforo (P), Magnésio (Mg), Enxofre (S), Sódio (Na), Cloro (Cl) e Potássio (K).

Microminerais: Ferro (Fe), Zinco (Zn), Cobre (Cu), Iodo (I), Manganês (Mn), Flúor (F), Molibdênio (Mo), Cobalto (Co), Selênio (Se), Cromo (Cr), Níquel (Ni), Vanádio (V) e Silício (Si).

 

Como calcular sal mineral para bovinos?

A dosagem por cabeça varia entre 80 e 100 gramas por dia, a partir de recomendação da Embrapa.

Se você é daqueles que gostam de precisão, ofereça a quantidade que equivale a 2% do peso vivo do seu animal.

Ou ainda, uma dose entre 20 e 30 gramas a cada 100 quilos de peso vivo do animal.

 

Todos os sais minerais para bovinos são iguais?

 

Nem todos. E não encare essa informação como algo negativo. Cada propriedade tem um solo diferente, com necessidades individuais de minerais. Então, comprar realmente aquele que fará a diferença na sua propriedade é um dos melhores investimentos que você, como pecuarista, poderá fazer.

Para entender o que realmente falta no seu solo e até mesmo em porcentagem maior e menor, faça uma análise de solo:

 

 

Com o resultado da análise em mãos, leia sempre o rótulo do sal mineral para bovinos que você adquirir. Esse suplemento realmente precisa focar na necessidade individual do seu pasto.

Acima de tudo, sempre dê preferência para comercializar com empresas conhecidas do mercado. Pesquise antes e troque informações com colegas ou até mesmo consulte o zootecnista de confiança. Principalmente, se você pretende fechar uma grande compra.

Assim que fechar a compra, não esqueça de atualizar sua planilha de investimentos, gastos e receita. Ter um controle permite entender como está a saúde financeira do seu negócio.

Alguns consideram uma tarefa entediante, entretanto, é fundamental que seja feita.

Confira aqui um modelo de planilha ideal para propriedades rurais que atuam com pecuária: planilha de controle de contas.

 

Sal mineral para bovinos na seca e nas águas

 

Isso mesmo que você leu, amigo pecuarista. Na seca e nas águas é a indicação para oferecer sal mineral para bovinos. Ou seja, em todas as épocas do ano.

As justificativas são várias. Não se preocupe que vamos discutir aqui quais são elas.

No período de chuvas, a necessidade de minerais é maior. Acontece a alta quantidade de proteína e a deficiência de minerais.

Já na seca, é ao contrário. Há uma oferta maior de minerais e uma falta de proteínas. Em conclusão, o sal proteinado junto à ureia entram em cena.

Nas duas épocas, os bovinos exigem essa reposição. Não existe uma reserva de minerais no organismo dos animais. Então, fornecê-los diariamente, favorece a manutenção da engorda, proporcionando um melhor custo-benefício.

sal mineral para bovinos água
Oferecer sal mineral para bovinos nas águas e nas secas evita a queda de peso. – Foto: reprodução/ @loucosporgado

Cuidados ao oferecer o sal mineral para bovinos

 

Sal empedrado

É comum o produtor se deparar com o sal mineral empedrado. Em regiões com muita umidade, há chances de acontecer com mais frequência.

Ou, em casos que demandam mais atenção: manejo errado. Quando o sal fica muito tempo exposto ao clima (umidade, sol, chuva) sem ser consumido pela gado geralmente vira pedra.

Nesse caso, acontece um erro na dosagem. Afinal, se o sal sobra no cocho é porque está sendo oferecido em excesso.

Agora, se a dosagem estiver correta, é preciso investigar porque os animais estão rejeitando o suplemento.

No caso do sal empedrado, use fubá. Inclusive, essa farinha funciona para os dois casos: evita que o sal empedre e também torna o sabor mais agradável para os bovinos.

 

Pastagem

O sal mineral tem um papel. E não cabe a ele fazer milagres sozinho na pecuária. O cuidado e manutenção do pasto são complementos da alimentação e quando se trata de engorda, contam muito.

Aqui, o primeiro passo é escolher bem a melhor espécie de forrageira. Considere a sua produção e também a adaptação ao solo e clima.

Feito isso, cuide-o sempre, com uma rotina muito bem controlada. Existem diversas alternativas que preservam a pastagem em condições adequadas de consumo. Por exemplo, o pastejo rotacionado.

Ainda, existem a vedação e também a irrigação, métodos que facilitam muito a ter pasto na época sem chuvas.

Outro ponto bem importante que não podemos deixar passar é a presença de parasitas e verminoses.

Como se sabe, são fatores que realmente influenciam de forma negativa a produtividade. Com um bom controle, é possível evitar esses problemas e ter a pastagem sempre saudável.

 

Plantas invasoras e tóxicas

Ainda, foque os cuidados em sempre retirar plantas invasoras. Essas espécies roubam os nutrientes próprios do pasto, deixando-o mais pobre para o gado. As ervas daninhas estão entre elas.

Entretanto, te chamamos a atenção para as plantas tóxicas. A samambaia, por exemplo, muito comum na nossa flora, é considerada tóxica para os bovinos.

Complemente seu conhecimento com as dicas:

 

Vale a pena fazer sal mineral para bovinos na propriedade?

 

Ligue o som e assista nosso consultor José Carlos Ribeiro:

 

 

Mesmo sem ureia, o cocho com sal precisa ser coberto?

 

Sim! É o indicado.

Cobrir o cocho evita que o sal mineral entre em contato direto com a chuva. Uma justificativa é evitar que empedre, como citamos acima.

A cobertura também facilita o uso do cocho para outros suplementos. Na seca, o mesmo espaço pode ser utilizado para ureia e sal proteinado, por exemplo.

Outra recomendação para se levar em conta é o tamanho do cocho. O espaço precisa ser suficiente para que todos tenham acesso ao mesmo tempo. Seis centímetros lineares por cabeça é o suficiente.

Além disso, instale-o em locais de fácil acesso. Não adiante ter o melhor cocho com cobertura e espaço suficiente, se os bovinos têm dificuldade em chegar até ele.

Escolha também um modelo, de acordo com a sua realidade atual:

 

Outros suplementos que complementam a nutrição na seca

 

Na seca, para potencializar os resultados, você pode usar junto ao sal mineral, os seguintes suplementos:

 

Virginiamicina

É um bom suplemento que pode ser oferecido em diversas fases do bovino: desde bezerros, passando pela recria, até a terminação.

Pode e deve ser utilizada não só na seca, mas no período das águas para potencializar os efeitos da engorda, aliada ao ápice nutricional da pastagem. O gado de leite, assim como o de corte, pode consumi-la.

O manejo é bem fácil. Basta misturá-la na alimentação, ao adicionar 0,5 kg do produto em 25 kg de sal mineral. Ofereça o produto final após a mistura à vontade aos animais.

Inúmeras propriedades já utilizam esse aditivo e comprovaram o resultado de ganho de peso, além da redução de doenças como acidose ruminal e timpanismo.

Esses problemas de saúde são muito comuns na pecuária, ainda mais quando se trata de animais confinados.

Se você enfrenta essa dificuldade hoje e quer melhorar sua produtividade, leia: Virginiamicina: saiba tudo sobre o composto.

 

Sal proteinado

O oferecimento dos dois (sal mineral + sal proteinado) ao mesmo tempo pode, inclusive, potencializar a engorda no período da seca. O indicado do sal mineral é ser usado o ano todo e, ao oferecer os dois no cocho, durante a seca, além de proteger o organismo do bovino contra doenças, a perda de peso é controlada.

Os nutrientes estarão reforçados já que a falta de pasto inibe a ingestão das vitaminas e minerais necessários para manter uma engorda contínua.

Porém, os dois não devem ser servidos no mesmo cocho. A quantidade de cada um por cabeça é diferente. Com isso, nada de misturar os dois.

Te explicamos com mais detalhes no link: Sal proteinado com sal mineral: posso misturar?

Para fazer seu próprio sal proteinado, te contamos todos os segredos, em um passo a passo rápido e de fácil preparo: quero receber a receita gratuita de sal proteinado.

 

resultado de sal mineral para bovinos
Quer ter um gado saudável, livre de doenças e com alta produtividade? Uso o sal mineral para bovinos. – Foto: Boy Fotógrafo

Ureia

É um composto que mantém o peso com baixo custo e resultados bem interessantes. O uso é muito recomendado na seca, misturada ao sal mineral ou sal proteinado.

No período sem chuvas, o solo fica pobre em nutrientes e o pasto não fornece as substâncias nutricionais necessárias para manter a saúde do animal, e consequentemente, continuar a engorda.

Para servir com sal mineral, a mistura correta é: 30% de ureia para bovinos; 3% de sulfato de amônia; 67% de sal mineral. Acesse mais detalhes: Como fazer sal mineral com ureia para bovinos. 

 

Reforce os cuidados

Bom, não tem como citar ureia e reforçar sobre os cuidados no uso para evitar a intoxicação.

Em primeiro lugar, ofereça aos seus animais apenas a ureia pecuária. Os demais tipos não são indicados para consumo de bovinos. Em segundo lugar, escolha muito bem a marca. Existem diversas opções no mercado e ainda, novas tecnologias que evitam a intoxicação, mesmo quando molhada no cocho.

É o caso do Total Ureia Premium. Dessa forma, diferente das demais ureias, é a única que pode ser molhada no cocho, sem causar intoxicação. O produtor fica despreocupado e deixa aquele medo de perder o animais para trás.

Como resultado, esse sentimento de insegurança se transforma em energia para mais atividades na lida.

Mas se você ainda tem aquele estoque da ureia pecuária comum, recomendamos que se atente às orientações gerais: cocho sempre coberto, monitorar o consumo, fazer a adaptação e não deixar água acumulada no cocho.

E atenção redobrada quanto aos cuidados: Tratamento de intoxicação por ureia em bovinos.

 

 

Planejamento de alimentação na seca

 

Para que sua propriedade sofra o mínimo possível com as faltas de chuvas, ter um planejamento é essencial.

O ideal é começar no período das águas anterior à seca. Existem diversas alternativas de fácil manejo que podem te auxiliar com a alimentação.

Dessa forma, a economia com insumos é maior, assim como com os ingredientes para ração e até silagem.

Entenda como se preparar ao clicar na dica: Planejamento da alimentação para bovinos na seca.

E já que citamos silagens, existem diferentes tipos. É uma excelente alternativa para a seca, não importa o sistema de criação ou o tipo de pecuária, sendo corte ou leite.

Para os adeptos dessa alimentação, convidamos a leitura das sugestões abaixo. E se você está se planejamento a adotá-la, fica o convite para aumentar seus conhecimentos:

 

Dicas para oferecer o sal mineral para bovinos

 

  • O consumo diário por animal deve ser entre 80 gramas a 100 gramas. Essa quantidade é a indicada para bovinos saudáveis que estão com bom desempenho de engorda;
  • Cocho precisa ter espaço suficiente para que todos os bovinos se alimentem ao mesmo tempo;
  • Adquira produtos de empresas confiáveis e de qualidade;
  • Acompanhe o consumo diário para checar se há rejeição, principalmente quando há troca de produto (marca) ou início de oferecimento para um novo lote;
  • É possível evitar que o sal empedre no cocho. Basta seguir alguns cuidados para evitar prejuízos.
  • O cocho precisa atender a todos os bovinos ao mesmo tempo. Ter uma cobertura evita que o sal mineral fique molhado.

Em conclusão, essa dica é apenas uma entre as centenas disponíveis aqui no nosso blog. Para os que preferem conteúdo em vídeo, a Boi Saúde também oferece orientações sobre produtividade na pecuária nesse formato. Acesse nosso canal: Boi Saúde no YouTube.

 

Referência 

Sal mineral deve ser dado para os bovinos o ano todo. Embrapa. Produção Animal.
Importância da suplementação mineral para bovinos de corte. Embrapa Gado de Corte. 

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*