Carbúnculo no gado: perguntas mais frequentes

O carbúnculo é uma doença que atinge os animais. Como nosso conteúdo é focado em gado, aqui você saberá o que é, o impacto na produtividade e como proteger seu rebanho.

Manter o gado protegido de doenças é uma obrigação do produtor.

Mais que manter a produção sem danos, evita que os animais sofram. Não podemos deixar de mencionar os prejuízos econômicos quando o rebanho adoece.

Afinal, algumas doenças demandam custos com medicamentos, veterinários, exames e até cirurgias. Além disso, existem os problemas de saúde que não tem cura. Fora aqueles que se desenvolvem rapidamente, sem dar tempo para diagnóstico e cura, por exemplo.

Por isso, focando na sua produtividade e desempenho, a Boi Saúde selecionou as principais perguntas sobre carbúnculo no gado.

Esperamos que ajude a tirar as dúvidas e que o sucesso faça parte da sua rotina!

Te desejamos uma ótima leitura. Qualquer questão, nos deixe nos comentários

 

Perguntas e respostas sobre carbúnculo no gado 

 

O que é carbúnculo sintomático? 

Já ouvir falar na conhecida manqueira? Essa doença tem o nome de carbúnculo. A transmissão é feita por bactérias. Elas atingem o baço, fígado e o aparelho digestivo do bovino. O nome da doença é Clostriodiose bovina.

Em primeiro lugar, é uma infecção causada pelo agente Clostridium Chauvoei. Quando atinge o bovino, se manifesta com os sintomas. A evolução acontece de forma muito rápida.

Em segundo lugar, é considerada uma doença endêmica. Ou seja, ela se manifesta com frequência no Brasil.

 

Como é transmitida? 

A transmissão é pela bactéria Clostridium Chauvoei que pode ser encontrada no pasto. Por mais que um bovino não passe para o outro, a pastagem é um foco importante. Ou seja, se um bovino apresenta os sintomas, os demais também pode estar contaminados.

Caso os animais estejam com feridas e cortes, a bactéria pode contaminar via a abertura.

Sendo assim, os animais que não são vacinados contra a doença são os mais atingidos.

 

É uma doença grave? 

Sim. O índice de mortalidade é alto. Os animais que são contaminados têm mais chances de virem a óbito do que se recuperem. Essa informação nos mostra a gravidade da doença.

O animal pode morrer entre 12 e 36 horas do aparecimento dos primeiros sintomas. No entanto, é possível que bovinos morram sem nem mesmo apresentar sinais da infecção.

É uma doença tão grave que pode estar classificada entre as que causam morte súbita no gado.

Saiba mais: Morte de bovinos: 5 causas de morte súbita.

 

O diagnóstico é feito como? 

Por meio das feridas apresentadas, analisadas pelo profissional em medicina veterinária, por exemplo. Ou pelo exame de necropsia, que avalia a causa da morte.

 

Passa de um bovino para o outro? 

Não é contagiosa. No entanto, por ser transmitida por bactérias que podem estar presentes no pasto, ao consumi-lo, mais de um boi ou vaca pode ser infectado.

 

Acontece em qual idade do bovino? 

Pode se manifestar entre os seis meses e os dois anos.

 

carbúnculo
Vacinar contra o carbúnculo desde bezerros garante proteção e saúde aos animais. – Foto: Alexandre Strang Ciasca.

Ocorre mais em qual época do ano? 

 

Geralmente, se manifesta nos meses mais quentes do ano. Portanto, não esqueça do manejo do pasto. Cuidar da saúde da pastagem durante o ano todo exige planejamento. Ou seja, faz parte de uma pecuária de sucesso.

 

Quais são os sintomas? 

 

Lesões que além dos membros podem surgir na língua e músculos cardíacos. Além do peitoral e no úbere no caso de vacas. Febre é outro sinal.

Além disso, a perda de apetite é outro sintoma. Caso o gado não esteja se alimentando direito, então ligue o alerta.

Você pode acompanhar o consumo, avaliando o escore do cocho, por exemplo. Aprenda a fazer a leitura: Como medir o escore de cocho?

 

Existe algum outro tipo de carbúnculo? 

 

Sim, existem dois tipos. Além do carbúnculo sintomático que citamos ao longo do texto, temos o carbúnculo hemático.

O carbúnculo hemático é uma doença febril. O agente causador é o Bacillus anthracis.

A característica é hemorragia. Como resultado, pode causar morte súbita.

Ou seja, ao ser encontrado morto, com espuma de sangue escuro na boca, a causa por carbúnculo hemático entra como suspeita.

A transmissão é feita via solo contaminado. Sendo assim, a água e o feno com o agente causador são focos. Além disso, outra fonte é a farinha de carne e ossos. Essa última é considerada um alimento proibido para o gado. Verifique: Intoxicação alimentar em bovinos: alimentos proibidos.

A vacina é uma prática e segura de prevenção.

 

É possível proteger o gado? 

 

Com certeza! A vacina é a principal forma de prevenção da doença.

O gado de corte e o de leite precisam passar pela vacina. Por isso, siga o calendário vacinal indicado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O nosso órgão regulador conhecido pela sigla MAPA.

Acima de tudo, elaborar um calendário para não perder nenhuma data é importante. Inclusive, a vacina de carbúnculo é obrigatória no Brasil. Para saber informações sobre a aplicação, confira: Clostriodiose bovina: prevenção é feita com vacinas para gado.

As dosagens devem ser aplicadas nos seguintes períodos:

No gado de leite, a primeira dose é aos três meses. A segunda aos quatro meses. A seguinte aos 12 meses. Feitas todas essas etapas, a dose passa a ser anual. E ainda, a 60 dias antes de cada parto.

Já no gado de corte, a primeira dose também é aos três meses de vida. Depois, o reforço acontece no momento da desmama. Seguida da dose aos 12 meses. Consequentemente, uma vez ao ano. E para as vacas de cria, 60 dias antes do parto.

Se a desmama é um processo que seus bovinos irão passar em breve, não deixe de ler: Qual peso e momento certos para desmama de bezerros?

A propriedade ou a região onde se encontra apresenta surto? Então é indicado que os bezerros de até dois anos sejam vacinados. A repetição pode ser feita após quatro semanas, por exemplo.

 

Continue com a Boi Saúde 

 

Por fim, conseguiu esclarecer suas dúvidas sobre carbúnculo, amigo produtor? Deixe seu comentário.

Aproveitamos para agradecer a sua leitura!

Para mais dicas sobre pecuária, acesse nosso canal de vídeos. Lá, você encontra muito mais conteúdo. Os temas são sobre produtividade e lucro da produção de gado. Acesse: Boi Saúde no YouTube.

Referência: 

CARBÚNCULO SINTOMÁTICO EM BOVINO (“MANQUEIRA”). REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA – ISSN: 1679-7353. Ano VI – Número 10 – Janeiro de 2008 – Periódicos Semestral.

Vacinação, a importância das boas práticas e a prevenção de doenças de interesse em bovinocultura. Comunicado técnico 122. Embrapa Gado de Corte.

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*