O gado pode comer pastagem nativa?

Será que a pastagem nativa está presente na sua propriedade? Se você não faz ideia do que seja, então não se preocupe. A Boi Saúde vai te explicar o que é e se é viável para a sua pecuária.

Em primeiro lugar, existem muitos tipos de pastagem nativa no Brasil. A região Centro-oeste é a dominante.

Pelo pasto ser base da alimentação do gado em nosso país, será que esse tipo de pastagem pode ser consumida?

Confira a resposta e informações complementares nas próximas linhas.

 

O que é pastagem nativa? 

 

A pastagem nativa é classificada pela Embrapa como área de vegetação com espécies de forrageiras naturais. Sendo assim, pode ser utilizada como pasto sem problemas.

O local que mais se apresenta são as áreas marginais. Então a limitação fica por conta apenas de pasto. Isso porque não tem potencial físico ou químico para outros cultivos com foco na agricultura.

Essa limitação acontece devido as seguintes características:

  • Não tem drenagem suficiente;
  • O solo tem baixa fertilidade;
  • A topografia inadequada;
  • Altitude.

Então, você suspeita de alguma região do Brasil com pastagem nativa abundante? O Pantanal, por exemplo, é uma delas. Para se ter ideia, existem mais de duas mil espécies só na região pantaneira. Dessas,  500 são forrageiras.

A qualidade desse tipo de forrageira varia muito com a região, de acordo com o clima, seca e inundação. De modo geral, segundo a Embrapa, o índice de proteína bruta pode chegar a 7%. Para se ter como base, as vacas de cria precisam de 12% para um desenvolvimento saudável.

Mesmo que a pastagem seja a sua principal fonte de engorda, não esqueça do sal no cocho. Portanto, para saber como preparar na propriedade, confira a receita: Como fazer sal proteinado para o gado: a receita.

Além disso, se quiser complementar com ração, prepare uma de acordo com as necessidades nutricionais das matrizes: Ração para vaca de cria.

 

O gado pode ser criado a base de pastagem nativa? 

 

Pode sim, amigo produtor!

Nas regiões onde são encontradas com facilidade, pode ser uma fonte alimentar para o rebanho.

Como aquela área é improdutiva para outras culturas, os bovinos podem fazer uso dela tranquilamente.

Acima de tudo, para manter a nutrição adequada, o manejo é indicado. Como a região pantaneira tem como característica a inundação em determinadas épocas do ano, não deixe de programar um planejamento.

Entre as ações estão: focar na taxa de lotação; limpeza para evitar parasitas, plantas invasoras e outras pragas.

Os fatores sazonais como cheias e seca interferem nas espécies e a quantidade. Sendo assim, todo esse controle é necessário para manter o ecossistema sustentável.

 

pastagem nativa
A pastagem nativa consumida pelos bovinos demanda manejo para manter a nutrição. – Foto: Agropecuária Estrela do Sul

Manejo sustentável 

 

Em primeiro lugar, a taxa de lotação deve ser respeitada. O número de 100 animais por lote não pode ser ultrapassado, por exemplo. Em segundo lugar, dê condições para a rebrota da pastagem nativa.

Além disso, respeite os limites do meio ambiente. A invasão de espécies exóticas agravam e disputam o espaço. Algumas espécies comuns na cheia se efetivam como invasoras. Entre os exemplos, temos a braquiária d’agua e grama-castela. No entanto, uma limpeza elimina o problema.

 

Por fim, essa dica tirou sua dúvida sobre o tema proposto? Então escreva o que achou nos comentários. Vamos compartilhar conhecimento.

Para mais informações sobre pecuária, não deixe de assistir nossos vídeos. Toda semana, uma dica nova para que você tenha muito sucesso na sua propriedade. É só clicar: Boi Saúde no YouTube.

 

Referência:

Pastagem Nativa. 500 Perguntas 500 Respostas – Gado de Corte no Pantanal. Embrapa.

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*