fbpx

Pastagens: como aumentar a arroba na terminação do gado

 
banner banner
 

Terminar o gado no pasto acima da arroba indicada para a terminação exibe um equilíbrio de todas as tarefas da lida. Mais de 90% da produção de gado de corte no Brasil é a pasto. Se você faz parte desse número precisa entender os critérios para uma boa produção de terminação e saber como manter as pastagens saudáveis para que a conta da produção feche com o lucro certo.

 

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 

O que é terminação do gado a pasto?

 

O gado tem três fases de criação:

  • Cria
  • Recria
  • Terminação

Cada uma delas exige cuidados diferenciados a partir da idade e do peso do animal. Isso inclui alimentação, suplementação, calendário sanitário como aplicação de vacinas, controle de parasitas, vermes, entre outras demandas.

A terminação do gado a pasto acontece quando após a fase da recria, que é mais longa, o boi segue no pasto até atingir a meta de peso da propriedade para a comercialização ou abate. Nessa fase são levados em conta o rendimento de carcaça, assim como um bom acabamento com um índice de gordura esperado pelo mercado consumidor.

O peso final depende muito da condição corporal de cada propriedade. Entretanto, o peso vivo de um bovino na fase de terminação pode chegar a 550.

Para se chegar a um bom resultado é preciso levar em conta alguns fatores como:

  • Raça;
  • Qualidade e genética dos animais;
  • Condições e manejo das pastagens;
  • Complementação oferecida no cocho.

Informações e orientações sobre os dois primeiros, você encontra aqui no blog, em outros conteúdos: Raças de boi: as melhores para criação no Brasil e Impacto da genética na carne macia. 

Agora, sobre pastagens e a suplementação, vamos te orientar nas próximas linhas.

 

pastagens
A manutenção das pastagens é uma das ações para a engorda na terminação. – Foto: Fazenda Valência

Como fazer o manejo de pastagens para terminar o gado?

 

Em primeiro lugar, amigo produtor, escolha sempre uma espécie de forrageira adequada para a sua região. Fique bem atento na escolha. Algumas são mais suscetíveis a determinadas pragas como cigarrinhas, ervas daninhas, cupins, vermes, carrapatos, entre outros.

 

Limpeza

Mantenha sempre a área das pastagens limpas. Isso quer dizer que lama, lixo, itens descartados da propriedade não devem permanecer na área de pastejo.

Os animais se machucam, o risco de atração e acúmulo de moscas e bactérias é maior, o que resulta em doenças.

Sobre os cochos e bebedouros, espalhe-os em quantidade e distância adequadas, a ponto de que todos os animais tenham acesso fácil. Se tem dúvidas sobre o tema, leia: Qual a distância ideal do cocho ao bebedouro bovino?

 

Quer pasto o ano todo? Implemente a irrigação

Entre as várias tecnologias disponíveis na pecuária, a irrigação substitui a chuva durante o período de estiagem. Com água frequente, as pastagens têm condições de se recuperarem e crescerem mais rápido, chegando na altura e ápice nutricional esperados.

Existem vários métodos e equipamentos. Estude bem se esse tipo de investimento cabe no seu bolso neste momento. Nada de fazer dívidas se as suas finanças estiverem negativas.

E tudo o que entra e sai da conta do banco da propriedade precisa ser contabilizado. Dessa forma, você saberá quais são as despesas e o lucro de cada mês. Uma planilha de controle de contas para a pecuária é o ideal. Baixe aqui um modelo grátis.

 

Fique de olho na taxa de lotação

O pisoteio acaba com o pasto, amigo produtor. Quando o número de animais por lote é maior do que o indicado, o gado come até a rebrota, não dando condições de recuperação. E com certeza, pasto degradado não é sua meta.

Então, faça sempre a conta. De acordo com a Embrapa, a taxa de lotação é a relação entre o número de unidades de animais (UA) e a área por eles ocupada.

O cálculo mais simples é o seguinte:

Divida o número de animais pela área de pasto. Por exemplo, se você tem 200 cabeças de gado, em uma área de 40 metros, você dividirá 200 por 40. O resultado é 5. Ou seja, você irá inserir cinco bovinos por hectare.

Nessa conta, considere que o peso vivo de cada animal é de 450 quilos.

 

Cuidado com as plantas invasoras e as que são tóxicas

Plantas invasoras roubam todos os nutrientes que seriam para o gado. Com isso, as pastagens ficam fracas e sem vida. Por mais que o gado a consuma, estará apenas matando a fome, sem garantir a nutrição e engorda necessárias.

Faça vistorias regulares. E logo que se deparar com alguma planta considerada tóxica para bovinos, como a samambaia, programe a eliminação sem demora.

 

Ração e grãos para gado terminado em pastagens

 

O resultado final é uma combinação de fatores alimentares quando se trata de terminação de gado a pasto. É preciso somar pasto saudável + ração no cocho + grãos.

Existe uma ração ideal para servir nessa fase do gado. Inclusive, conforme explicamos no começo do texto, existem três fases na criação. E cada uma delas exige cuidados diferentes, incluindo a ração. Ou seja, o que você oferece para o bezerro não terá tanto resultado para a terminação.

Então, amigo produtor, ofereça sempre o que cada fase exige para bater as metas de arroba e também a de qualidade. Para isso, entenda quais são os ingredientes, as porções e o modo de preparo: receita de ração para gado em terminação.

Sobre os grãos, o uso do milho, sorgo, aveia e outros são bem comuns. Use-os, mas com moderação. O excesso da concentração de energia afeta diretamente o sistema digestivo causando doenças graves e que reduzem o ganho de peso. Mais abaixo vamos explicar melhor.

 

terminado de gado em pastagens
A terminação de gado em pastagens exige planejamento e manejo diário. – Foto: Murilo Machado Cruz

Suplementos para a terminação de gado a pasto

 

Assim que a propriedade define o potencial de peso para o abate, elaborar um plano nutricional é o próximo passo. A qualidade e quantidade das pastagens é realmente fundamental. Tanto que é a base alimentar do rebanho brasileiro. Porém, para se atingir a meta de peso, apenas o pasto não é suficiente.

 

Sal proteico energético

Já que a fase da terminação exige rendimento de carcaça, o consumo de pastagens é prioridade. Para fazer com que a quantidade seja maior, o sal proteico energético estimula a aumento de consumo do pasto oferecido. Ou seja, a quantidade aumenta, resultando em um maior ganho de peso.

Oferecer nas águas é uma boa indicação pela qualidade do pasto.

 

Sal mineral e sal proteinado

O sal é aquele ajudante indispensável na sua lida. Por mais que o seu solo e forrageira estão muito bem manejados, algum nutriente ou elemento pode estar em quantidade abaixo da necessária para proporcionar uma engorda.

Na verdade, amigo produtor, quando o gado absorve a quantidade necessária de elementos como cálcio, ferro, sódio, manganês, enxofre, fósforo, entre outros, tem como garantia uma saúde reforçada contra doenças. O sal ainda reforça o ganho de peso.

A indicação é que o sal para gado seja oferecido o ano todo. Na seca e nas águas. Se ainda não sabe qual oferecer, tome nota da orientação: na seca, a falta de proteínas é maior. Com isso, o sal proteinado é o mais indicado. E nas águas, os minerais ficam em baixa quantidade com a falta de pastagem. Então, o reforço no cocho vem com o oferecimento do sal mineral.

O melhor deixamos para te contar agora. Esses dois tipos de sal têm simples preparo. Você não leu errado, você mesmo consegue fazer na sua propriedade.

Para que esses suplementos tenham o equilíbrio necessário para a engorda, saiba como fazer o preparo com as seguintes receitas:

 

Virginiamicina

Com uma dieta baseada em grãos com grande quantidade de energia, o gado em fase de terminação tem altas chances de desenvolver problemas digestivos.  Um deles é a acidose ruminal.

Para fazer esse controle, o uso de aditivos apresenta bons resultados. Entre eles, está a virginiamicina. O principal objetivo desse composto é manipular a fermentação ruminal. Como resultado, aumenta a eficácia na digestão e absorção dos nutrientes consumidos na ração, sal e pasto. Tudo isso acontece a partir da atuação da virginiamicina contra bactérias e previne o desenvolvimento do ácido lático, evitando a acidose ruminal e abscesso no fígado.

Ao absorver todos os nutrientes o peso do gado aumenta, assim como o rendimento de carcaça ganha uma melhora significativa. Alguns pesquisadores e autores da pecuária ainda indicam a combinação de virginiamicina com a monensina sódica, outro aditivo com resultados comprovados.

Com todas essas orientações implementadas diariamente, seu gado terá a produtividade esperada. A Boi Saúde entende que a rotina de uma propriedade rural é intensa. Por isso, planejamento é fundamental! Programar calendários, produzir antecipadamente a ração e o sal facilitam a lida.

Para mais dicas sobre aumento da produtividade, assista nossos vídeos no nosso canal do YouTube. Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.

E antes de deixar essa página, deixe seu comentário sobre como é sua criação a pasto.

 

Referência

Terminação Intensiva a Pasto na Seca e nas Águas. Boletim Técnico. Phibro Animal Health Corporation.
Sal mineral deve ser dado para os bovinos o ano todo. Notícias. Embrapa.
Métodos de cálculo de taxa lotação em pastagens com suplementação. Embrapa Pecuária Sudeste, 2006.

 
banner banner
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

×