Abcessos hepáticos em gado confinado

O gado confinado tem alta produtividade, mas também está exposto a diversos problemas de saúde, quando não bem monitorados. Entre eles, estão os abcessos hepáticos. Nesta dica, você vai aprender não só o que é, mas como prevenir e a importância de uma alimentação equilibrada nesse sistema.

Provavelmente, os produtores que atuam com gado confinado já ouviram falar sobre acidose ruminal.

A doença acontece quando animais ingerem dieta de alta energia e tem lenta fermentação do rúmen: Acidose ruminal é evitada com simples ações na nutrição;

O problema é tão grave que pode levar o animal a óbito. Os sintomas mais comuns são falta de apetite e desidratação. Além do desconforto e sofrimento, o animal não se alimenta e não consome a quantidade de água necessária para se manter saudável: Consumo de água por cabeça de gado.

Para conferir se o consumo de ração está adequado, é preciso avaliar o escore do cocho: Como medir o escore de cocho?.

Os abcessos hepáticos são as sequelas que a acidose ruminal deixa no organismos dos bovinos. Principalmente, aqueles que tem rica baseada em altas proporções de concentrado, que causam fermentação em excesso e com pouco volumoso. Geralmente, essa é a base da alimentação do gado confinado.

 

O impacto do problema na pecuária 

 

Infelizmente, quando se trata de abscessos hepáticos, o diagnóstico é feito durante o abate. Isso acontece devido ao problema não ter sinais visíveis aos produtores que caracterizem desconforto ou dor no animal.

Na maioria das vezes os abscessos hepáticos são diagnosticados e encontrados no exame post-mortem durante o abate dos bovinos, pois raramente há manifestação de sinais clínicos.

E claro que é um impacto direto ao produtor, afetando toda a transação econômica.

O motivo? Fisicamente, o abcesso pode não aparentar, mas internamente, se apresenta como uma inflamação com pus que pode chegar até 15 centímetros. E pior, o fígado também pode ficar condenado.

O problema parece impactante, não é mesmo? Mas existe prevenção simples e de investimento que tem bom retorno. Na verdade, proporciona mais produtividade.

 

Prevenção de abscessos hepáticos em gado confinado 

 

Fique de olho na dieta 

A dieta de alta grão é muito utilizada no gado confinado. O objetivo é que o gado engorde de forma rápida, por isso o consumo de energia é privilegiado. Algumas propriedades utilizam a proporção de até 90% de ingredientes concentrados.

Essa quantidade realmente pode agravar e provocar a acidose ruminal e, consequentemente, os abscessos hepáticos. O ideal é que fique em até 60% de concentrado e 40% de volumoso.

E mais que esse equilíbrio, é preciso escolher ingredientes de boa qualidade e adequados para o consumo.

E ainda, o produtor que atua com gado confinado não pode esquecer do fator principal que previne esses problemas de fermentação do rúmen: a virginiamicina.

Você ainda não a utiliza na sua pecuária? Caso atue com confinamento ou está pensando em adotar o método, esse suplemento não pode ser deixado de lado.

 

 

gado confinado 1024x576 - Abcessos hepáticos em gado confinado
Gado confinado, produzido com manejo adequado, tem ótimos resultados. – Foto: Confinamento OBF

 

Utilize aditivos no cocho para gado confinado

A virginiamicina é um aditivo antibiótico que resolve boa parte do problema de fermentação do gado que é confiado.

O manejo não demanda muito trabalho. Basta oferecê-la no cocho, com a seguinte proporção: misturar 0,5kg do produto em 25kg de sal mineral. E pronto! Nada muito trabalhoso e que evita boas perdas e ainda efetiva a engorda do gado.

Como isso acontece? Sabe todos os nutrientes que o gado consome com a ração e também no sal? Não são totalmente absorvidos e o papel da virginiamicina é exatamente esse!

Fazer com que toda a energia realmente seja mais que ingerida, mas processada pelo organismo e resulta em peso e rendimento de carcaça.

Ainda, controla o ácido láctico que atua diretamente na fermentação.

Quer saber mais? A gente te conta tudo sobre o tema na dica: Ácido láctico impacta na engorda? Confira.

E se quiser, complemente com as informações:

 

Como está seu manejo? 

Pois, é amigo produtor. Não adianta seguir todos os protocolos de alimentação e deixar de lado o básico, não é mesmo?

Se você adota o confinamento ou o regime a pasto precisa ser baseado no bem-estar animal. Além de não deixar os bovinos estressados, garante uma melhor qualidade da carne que será produzida.

Não esqueça da água e também da sombra. É muito comum os confinamentos não oferecem local de abrigo para os animais.

Caso seja inviável plantar árvores, construa galpões arejados, mas que também podem ser utilizados para proteção em tempestades e baixas temperaturas, caso sua região tenha clima mais ameno.

E então, amigo produtor, esse conteúdo proporcionou conhecimento para sua pecuária?

Além do blog, a Boi Saúde tem mais dicas práticas para aumento da produtividade no YouTube.

Confira nosso canal, aproveite o acesso e se inscreva para não perder nenhum conteúdo: Canal da Boi Saúde no YouTube. 

Referência: 

Abscesso hepático em bovinos: Revisão. Pubvet: v.12, n.4, a77, p.1-11, Abr., 2018.

Confinamento de bovinos de corte. Boletim Técnico  Phibro Animal Health Corporation.

 
Virginiamicina - Abcessos hepáticos em gado confinadomobile Virginiamicina - Abcessos hepáticos em gado confinado
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*