Criação de gado de corte: efeitos da virginiamicina e monensina

A criação de gado de corte requer cuidados específicos, entre eles, na alimentação. Não tem como exercer um ganho de peso adequado, sem oferecer nutrientes ideais que fortaleçam o organismo do animal.

O bom produtor sabe que pasto, água de boa qualidade, sanidade animal e suplementos no cocho garantem bons negócios.

O que muitos ainda desconhecem ou são até resistentes é o impacto que alguns suplementos causam diretamente na produtividade.

Por isso, nesta dica vamos focar especificamente no uso da virginiamicina e da monensina sódica na criação de gado de corte.

Os animais passam por diversos problemas, como acidose ruminal e outros de origem digestiva. Existem também os que são originários do fígado e do rúmen. Muitos empecilhos que afetam diretamente a sua produtividade.

E só de citar esses entraves, já te damos justificativas para o uso dos aditivos citados acima, já que eles são fundamentais para a fermentação ruminal, reduzindo assim, as chances de problemas que impactam o ganho de peso.

 

O que são aditivos? 

 

Vamos explicar logo aqui no início do texto o que é cada um desses aditivos. Sabendo a diferença entre um e outro esclarece algumas possíveis dúvidas e pode te proporcionar uma decisão a respeito do uso no cocho da sua propriedade. Sem contar na melhora da resposta imunológica que proporciona aos bovinos.

Tanto a virginiamicina, tanto a monensina sódica são aditivos classificados como antibióticos não ionóforos. Ambos podem ser utilizados separadamente e proporcionam melhoria de desempenho. Porém, cada vez mais estudos apontam que a combinação no cocho tem resultados bem satisfatórios.

Os aditivos são classificados como substância, microorganismo ou produto formulado, adicionado intencionalmente aos produtos, que não é utilizada normalmente como ingrediente, tenha ou não valor nutritivo e que melhore as características dos produtos destinados à alimentação animal ou dos produtos animais, melhore o desempenho dos animais sadios e atenda às necessidades nutricionais ou tenha efeito anticoccidiano.

 

criação de gado de corte 1 - Criação de gado de corte: efeitos da virginiamicina e monensina
Criação de gado de corte: efeitos da virginiamicina e monensina. – Foto: Reprodução Internet

Virginiamicina e monensina na criação do gado de corte 

 

Quando falamos de monensina sódica, entre os efeitos estão:

  • redução das perdas de energia devido à redução da produção de metano, ou seja, gases;
  •  prevenção de desordens digestivas como a acidose, que causa grande impacto no ganho de peso;
  • aumento o fluxo de ácidos graxos;
  • pode ser utilizada com segurança, já que o uso é comprovado.

Restaram dúvidas quanto ao uso? Complemente com as dicas:

E sobre a virginiamicina, que apresenta efeitos positivos não só no ganho de peso, mas também na eficiência alimentar. E os benefícios são, além dos já citados:

  • reduz a taxa de degradação proteica;
  • aumenta o PH ruminal;
  • inibe o crescimento de bactérias que produzem o ácido láctico;
  • apresenta principal atividade contra as bactérias gram-positivas, tanto aeróbicas quanto anaeróbicas.

 

Uso combinado dos aditivos na criação de gado de corte

 

É comum o uso separado. Muitos produtores utilizam ora a virginiamicina, ora a monensina. Mas o uso combinado ao cocho proporciona uma alta melhora de desempenho. Alguns autores apontam que a combinação, mesmo reduzindo o consumo da matéria seca, não afeta o ganho de peso diário dos animais.

E por falar em cocho, a estrutura do seu atende as necessidades de consumo dos bovinos?

Verifique a manutenção em dia: Cocho para gado: manutenção evita desperdícios.

 

 

Por que é necessário controlar a acidose?

 

Se você é um leitor assíduo do nosso blog, já deve saber que temos algumas dicas que abordam o problema. E se falamos sempre, é porque realmente tem um grande impacto na produtividade quando o assunto é criação de gado de corte.

Como muitos propriedades conduzem a alimentação dos bovinos baseada em alimentos ricos em amido (milho, aveia, sorgo e outros), a saúde ruminal pode ser prejudicada. Em casos mais graves, o bovino pode vir a óbito, o que gera um prejuízo alto para o negócio.

A preocupação é tão evidente devido ao dado da acidose ser a segunda causa de morte e entre os problemas de saúde mais comuns associados ao gado confinado. E esse é um dos motivos para a Boi Saúde sempre alertar ao produtor sobre prevenir ao máximo.

 

 

Afinal, o que é acidose ruminal? 

 

Acontece quando o gado consome carboidratos fermentáveis em quantidade suficiente para gerar acúmulo não fisiológico de ácidos orgânicos no rúmen. Esses ácidos são responsáveis pela fermentação de micróbios nos alimentos.

Dietas de alto concentrado são as que proporcionam um maior risco do desenvolvimento da doença. Portanto, a prevenção feito no cocho, a partir da nutrição, é uma das formas mais eficazes.

Além da acidose, também existe o timpanismo. Outra doença que pode afetar a sua produtividade: Como evitar o timpanismo em bovinos.

Para potencializar ainda mais a sua rentabilidade, conheça outro método: O que é ganho compensatório em bovinos?.

Prefere dicas em formato de vídeos? A Boi Saúde também tem!

Se inscreva no nosso canal e ative as notificações para novidades: Dicas sobre pecuária no YouTube. 

Referência: 

RIGUEIRO, ANDRÉ LUIZ NAGATANI.PROTOCOLOS PARA O USO COMBINADO DE MONENSINA SÓDICA E VIRGINIAMICINA EM DIETAS DE BOVINOS NELORE CONFINADOS. Ilha Solteira, 2016.

Confinamento de Bovinos de Corte. Boletim Técnico Phibro Animal Health Corporation.

MOURA, LENNON MESQUITA. MONENSINA SÓDICA E VIRGINIAMICINA PARA BOVINOS DE CORTE: DESEMPENHO E SIMULAÇÃO ECONÔMICA. Goiânia, 2013.

 
Total Corte Premium - Criação de gado de corte: efeitos da virginiamicina e monensinaTotal Corte Premium mobile - Criação de gado de corte: efeitos da virginiamicina e monensina
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*