Doença da vaca louca: como evitar no gado?

Gostou? Compartilhe!

Vira e mexe, a gente se depara com notícias sobre gado acometido pela doença da vaca louca. E como nós, produtores rurais, podemos proteger nossos animais contra essa doença conhecida em todo mundo? Nesta dica, vamos te auxiliar sobre como deixar essa doença bem longe da sua propriedade. Além de evitar a contaminação, você mantém sua produtividade em dia, proporcionando a melhor pecuária possível ao seus fornecedores.

Alguns casos aparecem de forma isolada, em outros, uma região inteira. E para prevenir a encefalopatia espongiforme bovina (EEB), nome científico da vaca louca, confira as dicas abaixo.

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 

O que é a doença da vaca louca?

 

A encefalopatia espongiforme bovina (EEB) tem um alto poder de contaminação. Os consumidores da carne de um animal que morreu da doença pode ser contaminado e levado à óbito. Considerada uma doença neurodegenerativa, atinge as células do cérebro, que é infectado, a partir do consumo de alimentos contaminados.

No Brasil, o risco é considerado insignificante, ou seja, é algo que pode acontecer, mas com baixa possibilidade, segundo a Organização Mundial de Saúde Animal. Nos últimos anos, nenhum caso foi registrado, nem de contaminação de bovinos e/ou de humanos.

A origem é europeia, a partir da Inglaterra. O foco foi o processo de reciclagem de carne, ossos, sangue e vísceras na alimentação dos animais. Com o consumo desse material, os bovinos foram contaminados e, consequentemente, pessoas que ingeriram a carne, apresentaram a contaminação.

Na Europa, casos que aconteceram na década de 80, tiveram um grande repercussão em nosso país. O pico da epidemia naquele país chegou na década seguinte, mais precisamente entre 1992 e 1993.

Como somos um dos maiores produtores e exportadores de carne do mundo, o sinal de alerta logo foi ligado pelas autoridades sanitárias. Os consumidores também se preocuparam sobre a contaminação a partir do consumo de carne.

 

Como evitar a doença da vaca louca no gado
O mal da vaca louca pode ser prevenido com simples medida. – Foto: Rodrigo Paniago.

Os sintomas da doença ou mal da vaca louca nos bovinos são:

 

  • falta de coordenação;
  • falta de apetite;
  • deixa o gado agressivo. Por isso, tem o nome popular de vaca louca.

O diagnóstico preciso é feito por meio de exame laboratorial.

Quais animais podem ser contaminados? Todas as raças de bovinos e de todas idades e sexo. Seja gado de leite e gado de corte. Todos estão sujeitos.

 

Como prevenir a vaca louca na propriedade?

 

Os animais são infectados pelo mal da vaca louca ao consumirem alimentos que já estão contaminados pela proteína responsável pela doença. Aqui no Brasil, o risco é insignificante, pois o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) tomou medidas preventivas para evitar surtos e epidemias que possam ter sérias proporções.

Entre elas, está a proibição do uso da cama de frango na pecuária. Não use, amigo produtor, de nenhuma forma esse tipo de produto na sua propriedade como alimentação. Além do risco da vaca louca nos animais e consumidores dos seus produtores, seu negócio sofrerá com multas e autuação dos órgãos fiscalizadores competentes. Ainda, os animais das propriedades que utilizam cama de frango são abatidos para evitar possíveis contaminações.

A cama de frango é um subproduto da produção agrícola usado como forragem no chão das granjas. É muito utilizada como adubo, pois contém palha, fezes, penas, restos da ração e cascas de grãos de arroz. O risco de contaminação é tão grande que as vigilâncias sanitárias locais fazem fiscalização para prevenir esse tipo de problema nas propriedades rurais.

Para entender melhor e mais profundamente os riscos do uso, te indicamos a leitura mais aprofundada do tema: Cama de frango é permitida na pecuária?

 

 

Qual a alimentação que você oferece para seu rebanho?

 

Como lemos acima, a alimentação é a base não só de engorda dos bovinos. Mas também, quando oferecida de forma errada, causa problemas como o que citamos.

A Boi Saúde entende que manter tudo às mil maravilhas na propriedade é desafiador. Além disso, tantas tarefas para cumprir e a alta dos ingredientes em determinadas épocas são fatores que impedem uma melhor organização.

Entretanto, te chamamos muito a atenção nesse ponto. Não basta oferecer a alimentação mais fácil e mais barata. Se a sua meta é conquistar um lucro maior, ter um planejamento sobre o que oferecer em todas épocas do ano conta muito. Aqui, entra a ração e os suplementos que são essenciais para manter a engorda em um ritmo esperado.

Acima de tudo, organize-se. Tire um dia para planejar como serão os próximos seis meses de lida. O que você vai oferecer, quando irá produzir e onde esses itens serão armazenados. São detalhes que deixam o desespero para longe, principalmente na época de falta de pasto.

 

Como preparar a melhor ração?

O melhor vamos te dizer agora. O trabalho de organizar a quantidade e o oferecimento fica com você e a receita das rações, de acordo com cada fase, a Boi Saúde te indica aqui e sem nenhum custo.

Acima de tudo, começando pela melhor receita de ração para bezerros. Esse preparo dá condições para esses jovens animais crescerem e engordarem o mais saudável possível. Então, se você tem animais nessa fase, clique AQUI e receba sua receita grátis.

Está na fase da recria e de terminação? Pare de se preocupar porque também temos o passo a passo de como fazer a ração e quantidade de ingredientes. Ao produzir sua própria receita, a propriedade economiza e tem 100% de confiança na procedência. Ainda tem a capacidade de fazer a quantidade ideal para o número atual de cabeças.

Acesse:

 

Suplementos e aditivos? Use todos os dias

Além de seguir uma receita de ração adequada, o complemento da nutrição no cocho com suplementos como sal mineral, sal proteinado e sal proteico energético, garante saúde e lucro. Temos também os aditivos ureia, virginiamicina e monensina sódica.

Cada um deles propõe objetivos diferentes e quando aliados à ração promovem melhorias além do esperado. Como resultado, o gado fica nutrido de dentro para fora, com chances mínimas de perder peso na seca. Além disso, melhoram o desempenho ao prevenirem doenças como acidose e timpanismo, como no caso da virginiamicina.

Assim como a ração, um dos suplementos mais utilizados, o sal proteinado é outro componente alimentar que pode ser preparado na propriedade. Aprenda como fazer o seu: receita grátis de como fazer sal proteinado.

Entenda mais sobre o impacto dos suplementos e aditivos:

 

ração de qualidade_doença da vaca louca
A ração de qualidade, deixando a cama de frango de lado, evita a doença da vaca louca. – Foto: Currais Itabira

Nunca descuide do manejo do seu gado

 

Se você buscou conteúdo sobre a doença da vaca louca é porque possivelmente está preocupado em proteger seu gado. Da mesma forma, ações diárias implementadas na rotina da propriedade fazem com que as doenças consideradas evitáveis fiquem longe da sua propriedade.

Distribua bem a tarefa entre os seus funcionários. Estabeleça uma agenda para cumprir tudo o que a boa pecuária exige, desde as atividades mais básicas, como abastecer o cocho, até as mais complexas, como fechar o gado para as vacinas, por exemplo.

Sempre que tiver qualquer dúvida, consulte sempre o veterinário ou o zootecnista de confiança.

Amigo produtor, a melhor forma de obter uma pecuária produtiva é ter um manejo eficiente. Em outras palavras, sabemos que é uma tarefa bem intensa, árdua, mas nossa atividade é muito compensadora. E para atingir um nível alto de rendimento, nunca descuide dos seus animais.

Confira se esses itens estão indo de acordo com a produtividade que você espera:

 
Caso tenha alguma dúvida, é só deixar um comentário que responderemos!

Em conclusão, não pare seus conhecimentos aqui, amigo produtor! Por mais que a doença da vaca louca não tenha incidência aqui no Brasil, outros problemas de saúde que impactam a saúde do gado estão presentes na pecuária brasileira. Portanto, ficar atento e sempre vigilante é a melhor arma para evitar prejuízos.

Uma forma muito fácil e prática é acompanhar nossas dicas em vídeo, publicadas toda semana no nosso canal de vídeos. O acesso é gratuito e está disponível no link: Boi Saúde no YouTube.

 

Referência 

Nova metodologia evita disseminação do mal da vaca louca. Embrapa notícias.
Doença da vaca louca: o que se sabe sobre o caso registrado na Escócia. BBC Brasil, 2018.

 
banner banner
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*