Mal das cadeiras em bovinos

A doença conhecida como mal das cadeiras em bovinos ataca parte do rebanho brasileiro. Transmitida pela mosca do estábulo, a tripanossomose bovina, como é chamada cientificamente, pode ser prevenida.

Quando não é tratada devidamente, pode causar infertilidade nos bovinos de ambos sexos.

Continue com a Boi Saúde e confira as principais dúvidas sobre o assunto:

 

O que é, o que causa e sintomas do mal das cadeiras

 

O que é o mal das cadeiras em bovinos? É uma doença causada pelo protozoário Trypanosoma vivax. A mosca do estábulo é o principal vetor. Morcegos também podem transmitir o protozoário.

Quais são os principais sintomas? Febre alta, anemia, fraqueza. Esses sintomas são reflexo de uma perda de peso significativa, já que a doença causa dificuldade na alimentação do animal acometido. O peso é perdido de forma rápida, trazendo anemia e queda nos nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Caso não seja tratada a tempo, o animal pode chegar a óbito.

Outros sintomas representativos são alterações na reprodução dos bovinos. Vacas prenhes, quando contaminadas, podem sofrer aborto, sérios problemas no parto e desenvolver danos no cio, que podem ser irreversíveis. Já os bovinos machos, podem ter uma queda significativa na libido.

 

mal cadeiras bovino - Mal das cadeiras em bovinos
Cuidar da propriedade para evitar a contaminação do mal das cadeiras em bovinos é fácil e evita o sofrimento animal. – Foto: Reprodução Internet

 

Como é  feita a transmissão? O principal vetor brasileiro é a mosca do estábulo. Contaminada pelo protozoário, ao picar os bovinos, o transmite ao organismo destes animais.Uma outra forma de contaminação é utilizar utensílios de manejo infectados, como agulhas para vacinas e utensílios de ordenha.

Outros animais, além de bovinos, podem ser contaminados? Sim. Capivaras, raposas, cachorros, podem ser vítimas da doença, além dos bovinos.

 

Diagnóstico

 

A Boi Saúde sempre recomenda que os profissionais que atuam no manejo, conheçam bem seus animais. Dessa forma, qualquer mudança no comportamento poderá indicar alguma anormalidade na saúde do animal.

O mal das cadeiras nos bovinos é diagnosticado por exames laboratoriais, por meio de análise do sangue. Não deixe de consultar seu veterinário de confiança, pois só ele, a partir do resultado do exame, poderá confirmar o diagnóstico.

 

Como prevenir

 

Muitos produtores fazem a prevenção com controle biológico. Pássaros são boa alternativa. Porém, existem armadilhas para moscas que atraem, principalmente, as fêmeas, evitando assim, a reprodução.

Uma forma simples e eficaz é manter toda a propriedade limpa. Lama, lixo, restos de alimentos devem ser eliminados em toda a extensão para não atrair as moscas e demais insetos.

Mantenha a sanidade bovina em dia. Vacinas, suplementação diária, uso de antiparasitários e vermífugos.

Todos esses itens precisam fazer parte do dia a dia da pecuária. Dessa forma, seus produtos estarão protegidos, assim como toda sua lucratividade.

Além disso, essas ações auxiliam para o bem-estar animal. Deixar o animal livre de doenças e evitar ao máximo o sofrimento causado por elas, é um dos princípios desse conceito. A pecuária brasileira está em ascensão e precisa de todos os produtores engajados na mesma causa.

Não deixe de manter o gado bem alimentado. No caso das vacas, há necessidades específicas de nutrição. Confira: Ração para vaca de cria.

 

Como tratar o mal das cadeiras em bovinos

 

O tratamento é feito com medicamento à base de dimenazene. A dosagem é 7mg por quilo do animal. Quanto antes a doença for identificada, maior a chance de cura.

Para complementar a dica confira: Síndrome da Vaca Caída. 

Quer saber sobre outras doenças que impactam sua produtividade? Confira nosso canal de vídeos: Boi Saúde no YouTube.

 
Controle dos Parasitas - Mal das cadeiras em bovinosControle dos Parasitas mobile - Mal das cadeiras em bovinos
 

3 pensou em “Mal das cadeiras em bovinos”

  1. José Carlos Ribeiro disse:

    Olá, obrigado pelo comentário, continue nos acompanhando!

  2. José Carlos Ribeiro disse:

    Olá Leonardo, obrigado pelo comentário, continue nos acompanhando. Abraço!!

  3. José Carlos Ribeiro disse:

    Olá Luiz, obrigado pelo comentário, continue nos acompanhando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*