Espécie amendoim forrageiro é boa para consórcio?

O amendoim forrageiro tem um valor nutritivo superior a maioria das leguminosas tropicais. Se você tem gado de corte na propriedade, indicamos a leitura desta dica.

Aqui, você vai entender as características importantes dessa espécie. Como resultado, sua produtividade poderá ser maior.

Ter um pasto que atende as necessidades nutricionais do gado garante um bom desempenho. A escolha da espécie é o primeiro passo.

Então, se está em busca da melhor pastagem para seu rebanho, a Boi Saúde irá te auxiliar na escolha. Quem sabe o amendoim forrageiro é a melhor alternativa para você?

 

O que é a espécie amendoim forrageiro? 

 

O amendoim forrageiro (Arachis pintoi) é uma leguminosa rica em proteínas, sendo nativa do Cerrado.

Caso a Integração Lavoura Pecuária esteja nos seus planos, essa espécie se dá muito bom nesse método.

É classificada como uma espécie perene. A propagação é feita por meio de sementes, com crescimento contínuo. As flores são brancas, amarelas, laranjas ou creme.
O índice de digestibilidade atinge entre 60% e 70%. Ainda, tem boa aceitação por parte dos bovinos. Ainda, pode ser consumido também por equinos, ovinos e caprinos. Triturado serve para aves. Cortado é indicado para porcos.
Entre as vantagens está a fixação do nitrogênio. O nitrogênio absorvido pelo amendoim forrageiro vira adubo. O resultado é uma melhor recuperação daquele pasto onde foi plantada. E também, sendo aproveitado pelas outras plantas em caso de consórcio.

Até em solos com média e baixa fertilidade, o amendoim forrageiro vinga.

Tem resistência a baixas temperaturas e a áreas com alagamentos temporários.

Várias cultivares estão disponíveis.

 

Como é feito o plantio?

 

Existem dois formatos: por sementes e por mudas.

Se a sua escolha for mudas, as formas mais baratas são em covas e também em sulcos.

No caso de covas abertas com enxadas, o espaçamento deve ser entre 1m e 1,5m. Sobre quantidade, são indicados 240 quilos de mudas para cada 1 hectare.

Agora, se a escolha de plantio for em sulcos, a profundidade deve ser de 10cm. O espaçamento de 1 metro. Aqui, são necessários 368 kg para plantio por hectare.

No plantio de sementes, a quantidade ideal é de 10 a 12 quilos por hectare.

Não esqueça da aplicação de calagem e adubo. Para uma orientação adequada, faça a análise de solo que irá indicar quais as proporções.

 

Espécie amendoim forrageiro é boa para consórcio?
Pasto de amendoim forrageiro. – Foto: GONÇALVES, Diva Conceição.

 

Quais são as indicações de manejo?

Após o plantio, o pasto precisa de um descanso entre 30 e 40 dias. Portanto não insira os animais no local durante esse período. O amendoim forrageiro precisa desse tempo para a criar raiz das mudas.

Passado o descanso, o gado pode consumir a forrageira durante sete dias seguidos. Entretanto, dê um descanso de até 35 dias. Com essa atividade, o pisoteio e pastejo em excesso são evitados. A partir daí, terá condições de oferecer realmente o resultado esperado.

O produtor que deseja mudas pode entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor da Embrapa.

 

É ideal para consórcio? 

 
Sim, de acordo com a Embrapa, é a espécie ideal para consórcio com as seguintes forrageiras: braquiária brizantha, marandu, xaraés, massai. Além de capim-braquiarão, capim-braquiarinha, capim tangola e grama estrela africana roxa.

Ideal para a recuperação de pastagens que estão em fase de degradação, o consórcio do amendoim forrageiro com as espécies acima pode ser a salvação para a propriedade.

 

Como manter uma boa produtividade do amendoim forrageiro?

 

O plantio deve ser no início da época de chuvas. Ao apresentar umidade, o solo estará mais adequado para receber o amendoim forrageiro. E ainda, as chances de se estabelecer é maior.

Caso a região não tenha muitas chuvas, indica-se que a irrigação seja implementada.

Cuide sempre ao fazer rondas para monitoramento. Evitar pragas como cigarrinhas e cupins garantem uma saúde extra. Sem contar que parasitas precisam ficar longe.

Quanto mais você preservar o seu pasto, com adubo, herbicidas e fertilizantes, maior será o rendimento.

Para isso, não deixe de ler:

 

Por que ter espécies que se adaptam ao clima da região?

 

Cada pastagem se adapta a uma região (solo e clima). Algumas são nativas. Outras podem ser inseridas ali a partir da inserção no pasto.

Confira na sua região quais os pastos que são mais abundantes. Converse com os amigos e conhecidos da região.

Existem as que são mais resistentes à seca e luz. E também as que necessitam de irrigação e sombra.

O valor nutricional é algo muito importante a ser avaliado também.

Todas essas observações podem parecer detalhes. Entretanto, refletem diretamente na balança.

 

Quais outras sugestões de pastagens posso ter informações?

Aqui mesmo, no blog da Boi Saúde, você encontra mais conteúdo sobre tipos de forrageiras.

Algumas delas são:

 

Quer saber mais dicas sobre pecuária? Para melhorar seu desempenho dentro da porteira, acesse nosso canal.

Os vídeos de José Carlos Ribeiro, nosso consultor especialista em agronegócio, irão proporcionar muito sucesso na sua propriedade. O acesso é gratuito e atualizado toda semana. É só clicar: Boi Saúde no YouTube.

E se esse conteúdo fez a diferença no seu conhecimento, deixe seu comentário! Em breve, iremos respondê-lo.

 

Referência:

Métodos de introdução do amendoim forrageiro em pastagens já estabelecidas no Acre. Comunicado Técnico 152. Embrapa, novembro de 2002.

LEGUMINOSAS FORRAGEIRAS PERENES DE VERÃO. Capítulo 12. ILPF – Integração Lavoura-Pecuária-Floresta. Embrapa.

Amendoim forrageiro melhora qualidade do pasto. Embrapa Acre Rio Branco.

Arachis pintoi: leguminosa forrageira de multiplo uso. Embrapa.

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*