fbpx

Cinco dicas para prevenção de morte de gado

Saiba como prevenir o índice de morte de gado na dica de hoje da Boi Saúde.

 

 

Fala-se muito em natalidade das matrizes nas propriedades, com a produção de um bezerro ao ano por cada vaca reprodutora. Porém, observar o índice de mortalidade em bovinos é fator imprescindível para os negócios. Atualmente, a média nacional de mortalidade em bezerros até o momento de desmama é em torno de 8%. Já os que estão na fase pós-desmama até o fim do ciclo, gira em torno dos 4%. Por exemplo, um produtor com 100 animais em ciclo completo (cria, recria e engorda), desses, somente 88 animais chegarão ao ponto de abate. Os 12 animais perdidos proporcionam um prejuízo enorme na produtividade como um todo. Essas mortes refletem uma pecuária sem eficiência, não focada na lucratividade.

 

morte de gado
Mortalidade em bovinos tem alto índice no Brasil, principalmente em bezerros. – Foto: Reprodução Internet

Cinco dicas para diminuir a morte de gado

 

1- Sirva alimentação específica no período pré-parto. É muito importante que a matriz chegue até o parto com todos os nutrientes necessários. Essa alimentação irá proporcionar o nascimento de bezerros saudáveis;

2- Fique atento ao momento do parto. A partir do rompimento da bolsa, o bezerro tem o prazo normal de quatro horas para nascer. Caso passe esse tempo, será preciso uma intervenção para que não haja a morte do bezerro;

3- Faça a cura do umbigo do animal recém-nascido. A vermifugação também não pode ser esquecida. E sempre coloque a matriz e o bezerro em local separado do rebanho, conhecido como pasto-maternidade; temos uma dica aqui no blog sobre como oferecer bem-estar desde as primeiras horas de vida. Leia: Pasto maternidade: conheça as instalações

4- Faça o controle parasitário em todos os animais, independentemente de serem matrizes ou não. Carrapatos, moscas-do-chifre, bernes diminuem a produtividade e podem causar morte de animais por graves doenças transmitidas;

5- Uma inspeção na propriedade feita frequentemente inibe diversos fatores que impedem uma boa produtividade. Plantas como samambaia, mamona e carrapateira devem ser eliminadas da pastagem. Diminuir a intoxicação dos animais também evita a mortalidade na propriedade rural. Leia também: O perigo das plantas tóxicas na pecuária

 

Principais causas de morte de bovinos

 

Outro fator de grande mortalidade na pecuária brasileira é o botulismo, intoxicação causada pela absorção das toxinas produzidas pela bactéria Clostridium botulinum. Esse resultado nada mais é do que de bovinos criados em pastagens deficientes em fósforo ou ainda daqueles que acabaram recebendo suplementação alimentar inadequada. Clique na dica e saiba mais sobre o assunto: Botulismo bovino: a intoxicação causada por bactérias.

Também é preciso ficar atento com a Enterotoxemia, infecção não contagiosa causada pela bactéria Clostridium perfringens. O problema está ligado a flora intestinal e por isso se espalha rapidamente pelo corpo do animal, causando hemorragia. Por isso, é necessário estar sempre em alerta aos concentrados e dietas de grãos oferecidas aos bovinos.

E não para por aqui. Ainda existe o Carbúnculo, mais conhecido como manqueira, é uma doença infecto-contagiosa responsável por causar inflamação nos músculos, resultando em um animal que anda mancando. A morte pode ser repentina em casos já avançados.

Contudo, a Carência de cobre ou hipocuprose – como é tecnicamente conhecida – tem como consequência afetar a reprodução do animal. Além disso, impacta no desenvolvimento corpóreo dele.

Por fim, conheça nosso canal de vídeos. Acesse: Boi Saúde no YouTube.

 
banner banner
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

×