Botulismo bovino: a intoxicação causada por bactérias


Entenda o que é, como evitar e as formas de sanar o botulismo bovino. A doença é uma intoxicação que causa diversos prejuízos na propriedade.

O botulismo bovino muitas vezes é tratado como infecção e não como intoxicação em diversas propriedades do país. É uma intoxicação causada pela absorção das toxinas produzidas pela bactéria Clostridium botulinum. Ocorre quando os bovinos são criados em pastagens deficientes em fósforo ou quando recebem suplementação alimentar inadequada. O diagnóstico é feito por análise clínica laboratorial.

A doença pode ser causada por diversos fatores e causa prejuízos enormes na pecuária. Quando tratados como infecção, ao se desenvolver e chegar a um estágio grave, a chance de cura é pequena. Entre os sintomas estão perda de peso, paralisia muscular, que afeta primeiramente pernas, depois pescoço e cabeça, indigestão, queda na produção de leite e mastite.

Lixo na propriedade é fator de risco para botulismo bovino
Lixo na propriedade é fator de risco para botulismo bovino

Assim que se deparar com animais que apresentam esses sintomas, é fundamental acionar o veterinário de confiança para confirmar a suspeita.

As formas mais comuns de transmissão são:

  • deficiência de fósforo: quando não encontrado na ração e pastagem, o animal se alimenta de objetivos encontrados na propriedade como botinas, plástico e até lixo.
  • Ração e sal mineral armazenados incorretamente: todas as informações e orientações, você pode obter no texto exclusivo sobre o assunto – como armazenar sal mineral, proteinado e ração para gado. 
  • Água contaminada: resíduos de roedores, aves, animais silvestres.

Após o diagnóstico de botulismo ser confirmado por um médico veterinário de sua confiança, o produtor precisará fazer mudanças no local de trânsito de todos os animais.

Evite o botulismo bovino na propriedade

  • Corrija o fósforo oferecido na pastagem e alimentação no cocho.
  • Caso opte pela vacinação contra o botulismo, a aplicação deve ser feita antes do período das águas. Faça um reforço, 30 dias após a primeira dose.
  • Verifique a água da propriedade. Corra o pasto, veja se a água está com algum tipo de contaminação visível.