Carcaça bovina: influência dos aditivos no peso

A carcaça bovina influencia diretamente na negociação entre pecuarista e frigorífico. Atender as demandas do mercado é mais que essencial para fechar contratos com rendimentos adequados. Para chegar ao peso esperado, o uso dos aditivos pode ser um bom aliado.

A carcaça é o boi abatido, sem a cabeça, patas e rabo, couro, ossos e gordura. Ainda, no caso das fêmeas sem as mamas e no dos machos, sem os testículos.

Dependendo do que  produtor oferece no cocho, pode afetar o desempenho da carcaça. Por isso, a escolha certa do aditivo é fundamental para evitar não só perdas financeiras, como de produtividade. O uso pode ser feito nos sistemas a pasto, semi-confinamento e confinamento.

E mais que ter peso adequado, a qualidade do material também é levada em conta.

 

Terminação da carcaça bovina 

 

É nessa fase que o produtor determina e potencializa as arrobas que faltam para liberar os bovinos ao mercado. Porém, para se ter um bom resultado aqui, não deixe inserir os aditivos no cocho somente nesta fase.

A carcaça bovina de qualidade é formada desde quando o bezerro está sendo gerado no útero da matriz. Não importa o formato da reprodução, seja por estação de monta, seja por IATF, garante um bom escore corporal para a vaca de cria, assegura uma boa formação óssea e muscular ao novo bovino.

Após o nascimento, os cuidados com as vacas continuam e o processo de introdução dos aditivos podem começar logo na desmama.  É uma estratégia alimentar que fará diferença na carcaça bovina, lá na fase de terminação.

Aqui, indicamos três receitas sobre como oferecer os aditivos nas fases:

 

carcaça bovina 1 - Carcaça bovina: influência dos aditivos no peso
Carcaça bovina: influência dos aditivos no peso. – Foto: Reprodução da Internet

 

Virginiamicina

 

A pecuária tem diversos métodos e o Boi 777 é um deles. Se você ainda não conhece esse formato para adquirir arrobas em menos tempo, acesse a dica: Como alcançar o Boi 777. 

Com o sistema do Boi 777, é possível adquirir um acabamento de carcaça bovina adequado, de acordo com as exigências do mercado.

E como a fase de terminação é determinante, inserir aditivos que proporcionem um maior rendimento, como a virginiamicina, é essencial.

 

Monensina 

 

No caso da monensina, por exemplo, a partir de uma dieta com alto teor de grãos, há uma redução de ingestão do alimento de até 10%. E com isso, há melhoria na conversão alimentar. O resultado é aumento de peso diário e sem afetar a carcaça.

Ainda, quando há dietas com uso da monensina, mesmo com a redução do consumo, houve melhora na eficiência alimentar. E esse formato também não alterou a carcaça.

Em estudo realizado pela Embrapa, a monensina mostrou resultados vantajosos em rendimentos. E um ponto principal, não houve interferência química da carcaça bovina. Isso significa que não houve alteração na proteína, gordura e água.

Quer adquirir mais conhecimento sobre pecuária? Acesse nosso canal de vídeos. Lá, você encontra dicas fáceis para serem implementadas no dia seguinte no seu negócio. Clique: Boi Saúde no YouTube. 

Referência:

EFEITO DO ADITIVO MONENSINA SÓDICA NO METABOLISMO RUMINAL DE BOVINOS DE CORTE. REVISTA CIENTÍFICA DE MEDICINA VETERINÁRIA-ISSN:1679-7353. Ano XII-Número 22 – Janeiro de 2014 – Periódico Semestral

 
Ração para Terminação - Carcaça bovina: influência dos aditivos no pesoRação para Terminação mobile - Carcaça bovina: influência dos aditivos no peso
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*