Botulismo bovino: evite mortes no seu rebanho

Gostou? Compartilhe!

Nesta dica, a Boi Saúde vai te explicar o que é, os prejuízos e, principalmente, como evitar a morte dos seus animais por botulismo bovino na sua propriedade.

A doença é uma intoxicação que causa diversos prejuízos. Portanto, como nosso foco é proporcionar resultados positivos na sua propriedade, nosso conteúdo irá te esclarecer também quais são as principais formas de transmissão. O prejuízo econômico chega a mais de 10 milhões de reais por ano, de acordo com a Embrapa.

Deparar-se com notícias de propriedades que perderam cabeças de gado pelo botulismo não é raro. E para promover uma pecuária com alta lucratividade é preciso estar atento aos detalhes.

Então, acompanhe este conteúdo para que seu gado fica sempre saudável e sua conta bancária também.

Vamos começar? Pedimos sua atenção durante a leitura para que você absorva ao máximo o aprendizado.

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 


 

O que é botulismo bovino?

 

O botulismo bovino muitas vezes é tratado como infecção e não como intoxicação em diversas propriedades do país.

Em primeiro lugar, é uma intoxicação causada pela absorção das toxinas produzidas pela bactéria Clostridium botulinum. Ocorre quando os bovinos são criados em pastagens deficientes em fósforo ou quando recebem suplementação alimentar inadequada. O diagnóstico é feito por análise clínica laboratorial.

Em segundo lugar, a doença pode ser causada por diversos fatores e causa prejuízos enormes na pecuária. Quando tratados como infecção, ao se desenvolver e chegar a um estágio grave, a chance de cura é pequena, por exemplo.

Quando o gado não encontra alimentos certos e disponíveis para o consumo, acabam recorrendo a elementos não próprios para a alimentação. Ou mesmo com o cocho cheio, o que é oferecido não atende as demandas nutricionais do gado. Então, não descuide da alimentação do seu rebanho em nenhum momento.

 

Quais são os sintomas mais comuns?

Entre os sintomas estão a perda de peso, paralisia muscular, que afeta primeiramente pernas, depois pescoço e cabeça, indigestão, queda na produção de leite e mastite. O apetite depravado também entra nessa lista.

Esse apetite depravado em bovinos faz com que os animais consumam itens que não comestíveis. Entre eles, plástico, terra, lixo, que têm mais chances de estarem contaminados com a bactéria.

Assim que se deparar com animais que apresentam esses sintomas, é fundamental acionar o veterinário de confiança para confirmar a suspeita.

Bovinos machos e fêmeas podem ser contaminados. Entretanto, vacas na fase de gestação e produtoras de leite tem mais facilidade de contaminação.

 

As formas mais comuns de transmissão do botulismo bovino

  • Deficiência de fósforo: quando não encontrado na ração e pastagem, o animal se alimenta de objetos encontrados na propriedade como botinas, plástico e até lixo.
  • Ração e sal mineral armazenados incorretamente: todas as informações e orientações, você pode obter no texto exclusivo sobre o assunto, acesse: como armazenar sal mineral, proteinado e ração para gado. 
  • Água contaminada: resíduos de roedores, aves ou de animais silvestres.

Contudo, após o diagnóstico de botulismo ser confirmado por um médico veterinário de sua confiança, o produtor precisará fazer mudanças no local de trânsito de todos os animais.

 

Evite o botulismo bovino na propriedade

 

Além do básico como:

  • Caso opte pela vacinação contra o botulismo, a aplicação deve ser feita antes do período das águas. Faça um reforço 30 dias após a primeira dose;
  • Além disso, verifique a água da propriedade. Corra o pasto e verifique se a água está com algum tipo de contaminação visível.

Siga com essas orientações:

 

Corrija o fósforo na pastagem e alimentação no cocho

O fósforo é um elemento essencial para a saúde, nutrição e engorda do bovino. Sem ele, a produção fica abaixo do esperado. Então, como fazer para inserir esse componente tão importante na rotina alimentar do gado? Por meio de suplementos que veremos mais a frente.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a função dele na pecuária, leia:  Por que devo oferecer cálcio e fósforo para bovinos?

 

Pasto

Já que a pastagem é a principal fonte de alimentação dos bovinos no Brasil, já se perguntou como está a sua? Aqui, vamos propor um estudo nas linhas abaixo para que seu pasto seja o mais eficiente possível:

Você já fez uma análise de solo para verificar quais são os nutrientes que faltam naturalmente na propriedade? Esse processo é simples e te informa sobre quais elementos seu solo é rico e pobre. Dessa forma, você fará uma correção mais assertiva no cocho, investindo em suplementos que realmente farão a diferença no dia da pesagem do gado.

Feito isso, reflita sobre a espécie da forrageira. É compatível com seu clima e região? Além disso, vai de encontro com a sua produção: carne ou leite?

A manutenção é outro ponto-chave que não deve ser esquecido. Adubo, fertilizantes, eliminação de cupins, cigarrinhas, ervas daninhas e plantas tóxicas impactam diretamente na qualidade do pasto.

Parece muita coisa, não é mesmo? Mas já alertamos no início do texto que a pecuária é feita de detalhes. E esses são apenas alguns deles. Como resultado, você terá uma propriedade eficiente, com lucro esperado e até acima daquela meta que você tanto espera.

 

Suplementação no cocho favorece a prevenção do botulismo bovino. Foto: Campo Fácil.
Suplementação no cocho favorece a prevenção do botulismo bovino. – Foto: Campo Fácil.

Sal proteinado e sal mineral

A partir do resultado da sua análise de solo, você poderá complementar o que falta no cocho. Por exemplo, seu solo é rico em cálcio, mas falta fósforo? Então, vamos suplementar no cocho com um sal que tenha mais esse elemento.

Quando a Boi Saúde reforça que o sal é um suplemento que precisa estar todos os dias do ano no cocho, não é a toa. É um reforço no organismo dos nutrientes não encontrados na pastagem. E com isso, vamos muito além da engorda. Estamos falando de saúde e bem-estar animal. Quanto mais forte e protegido o organismo do seu animal estiver, menos chances de ficar doente ele tem.

E não pense que todo esse esforço vai te custar muito. O sal proteinado pode ser feito por você mesmo, na sua propriedade. Com os ingredientes e proporções certas, você protege seu gado durante a seca. Siga a receita da Boi Saúde, com modo de preparo e aumente o desempenho do gado: quero a receita grátis de sal proteinado.

Uma orientação importante é oferecer o sal o ano todo da seguinte forma: na época das águas, o sal mineral e na seca, o sal proteinado.

 

Outros suplementos

Existem outros suplementos que podem ser adicionados ao cocho. Alguns deles, até misturados no sal e na ração. Assim, facilita bastante o manejo.

São eles, a virginiamicina, monensina sódica e a ureia. Cada um tem sua importância e atua de formas diferentes e complementares junto ao sal mineral e ao sal proteinado.

 

Ração

Não tem como escapar dela. Seja sua produção a pasto, seja confinamento, abastecer o cocho com a ração tem diversos motivos. Vamos a alguns deles:

  • Alimenta o gado;
  • Supre as necessidades nutricionais. Na época da seca é a salvação do regime a pasto;
  • Engorda;
  • Quando oferecida em qualidade adequada, promove um resultado esperado pelos fornecedores como leite e carne acima da expectativa do consumidor final.
  • Ao abastecer o cocho regularmente, o gado não fica com fome e deixa de buscar alimentos e até comer aquilo que não é comestível.

São motivos mais que suficientes, concorda?

O mais importante é oferecer a ração para cada fase. E ficar atento a possíveis substituições em caso de alto de preços dos ingredientes no mercado.

O preparo é simples e você mesmo pode fazer. Basta ter a receita. E o melhor vem agora. Aqui mesmo, você adquire o modo de preparo da melhor ração para cada fase. Vamos lá. É só clicar no link que te interessa para ter acesso ao material gratuito. Ou seja, você não paga nada por ele.

Agora você tem informação o suficiente para manter seu gado livre do botulismo bovino.

 

Acesso à água limpa é fundamental para evitar o botulismo bovino. Foto: Fernando Rubbertank
Acesso à água limpa é fundamental para evitar o botulismo bovino. – Foto: Fernando Rubbertank

Água

Item indispensável na pecuária. Mesmo que alguns raças sejam resistentes à sobreviver alguns dias sem ela, nunca deixe seu gado sem acesso à água limpa e potável.

Nesse quesito, a lógica de contaminação é a mesma dos alimentos. Quando não há uma fonte de fácil acesso, o gado procura em outros locais a água para matar a sede.

Acima de tudo, faça a troca frequente sempre que água estiver suja e ainda, lavar bem os bebedouros, faz parte de uma pecuária de sucesso.

 

Não pare seus conhecimentos aqui!

 

Você sabia que a Boi Saúde tem um canal no YouTube? Pois é! São diversos materiais em formato de vídeos.

Lá você encontra dicas e orientações do nosso consultor, José Carlos Ribeiro, em formato de vídeo. Tudo isso de forma totalmente gratuita! Acesse agora e confira:  Boi Saúde no YouTube.

Por fim, aproveite e inscreva-se no canal e não perca nossas atualizações, combinado?

Amigo produtor, essa dica trouxe mais conhecimento para a sua pecuária? Então compartilhe com a gente seu aprendizado! Sabe como? Deixando sua opinião aqui nos comentários!

Até a próxima!

 

Referência

Brasil já dispõe do primeiro medicamento contra o botulismo bovino. Notícias. Embrapa.

 
banner banner
 

O que é botulismo bovino?

O botulismo bovino muitas vezes é tratado como infecção e não como intoxicação em diversas propriedades do país. É uma intoxicação causada pela absorção das toxinas produzidas pela bactéria Clostridium botulinum.

Quais os sintomas do botulismo bovino?

Perda de peso, paralisia muscular, que afeta primeiramente pernas, depois pescoço e cabeça, indigestão, queda na produção de leite e mastite.

Como prevenir a propriedade do botulismo bovino?

Corrija o fósforo oferecido na pastagem e alimentação no cocho. Além disso, verifique a água da propriedade. Corra o pasto e verifique se a água está com algum tipo de contaminação visível.

Quais as formas mais comuns de transmissão do botulismo?

Deficiência de fósforo, ração e sal mineral armazenados incorretamente, além de água contaminada com resíduos de roedores, aves ou animais silvestres.

2 pensou em “Botulismo bovino: evite mortes no seu rebanho”

  1. Claudia Santos Cerqueira disse:

    Quando o animal já está contaminado existe algum remédio?
    Qual procedimento tomar após o diagnóstico?

    1. José Carlos Ribeiro disse:

      Olá Cláudia, obrigado pela pergunta, sugiro que envie um e-mail para “contato@boisaude.com.br” para que possa obter uma resposta completa! Continue nos acompanhando, abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*