Capiaçu, milho ou cana: qual a melhor lavoura para o gado?

 
banner banner
 

As lavouras para alimentação animal em períodos sem chuvas ganharam força, mas uma dúvida muito comum é: qual cultivo é mais apropriado para minha propriedade? Capiaçu, milho ou cana estão entre as opções mais discutidas. 

Neste conteúdo, vamos analisar cada uma individualmente e te orientar sobre qual é a melhor delas. Vamos lá?

A pecuária brasileira sofreu muito nos últimos anos com a falta de chuva em quase todas as regiões. Diante deste cenário, muitos produtores buscaram alternativas para equilibrar a alimentação dos animais e manter o rendimento o ano todo. 

Já que essas alternativas são necessárias, hoje a Boi Saúde indica um comparativo entre três espécies muito utilizadas para alimentação animal no Brasil, principalmente de bovinos: milho, cana e capiaçú.

Compartilhe esse conteúdo com sua equipe! Receba diretamente no seu e-mail para facilitar a impressão e deixá-lo à mostra em um local onde todos os funcionários transitam. Clique aqui e receba grátis na hora!

 

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas:

 

 

Qual a melhor lavoura para o gado?

 

Produzir a matéria prima da alimentação do gado garante uma economia extra na propriedade. Entretanto, o produtor precisa ter um bom planejamento. O cultivo entra como uma tarefa adicional na propriedade, em paralelo a lida do gado.

Mas existe uma grande vantagem. Quando os preços estão nas alturas, você não precisa gastar energia extra com negociação e na busca de melhores ofertas.

Produzir uma cultura que servirá de alimento não só para saciar a fome, mas também para engordar, proporciona ter a certeza da qualidade.

Além disso, cada uma delas exige um ponto de colheita certo para garantir a nutrição ideal para os bovinos. Então, quando o cultivo é na propriedade, você tem a certeza que está oferecendo o melhor para seus animais.

Agora, sobre qual a melhor lavoura, nas próximas linhas iremos explicar o que cada uma tem de melhor, assim como as desvantagens. Depois disso, coloque na balança e analise qual será a melhor para o momento que a sua pecuária vive hoje.

 

 

Milho

 

Em primeiro lugar, indicamos o milho, por diversos motivos. O Brasil é o terceiro maior produtor de milho do mundo. Ou seja, a oferta é grande por aqui. 

É o componente mais utilizado em dietas de bovinos, tanto a pasto como confinamento. Pode ser oferecido em diversos formatos: grão, farelo, silagem e como componente de ração. 

O fubá auxilia no consumo do sal quando o gado rejeita essa nutrição. Isso acontece quando há troca do tipo de sal ou até mesmo no início do oferecimento. Se você está enfrentando esse problema na sua propriedade, leia a orientação: Mistura de fubá com sal mineral para o gado.  

O ponto ideal de colheita é quando atinge 30% da matéria seca ou 70% de umidade. Essas porcentagens garantem melhores condições nutricionais para alimentar o gado.

Outras vantagens sobre o uso do milho na pecuária:

  • O milho é rico em energia, traz bom acúmulo de gordura e rendimento de carcaça;
  • Podemos considerar o milho o melhor alimento em termos de resultados e consumo pelos bovinos. 

O problema do milho é um só: o preço. O milho se tornou caro quando se fala em alimento para o gado, seja grão inteiro ou silagem. Entretanto, não deixa de ser uma boa fonte alternativa de alimento na falta do pasto. 

Complemente mais informações:

 

Cana de açúcar

 

A cana de açúcar é uma alternativa forte para alimentação do gado na seca. O oferecimento como silagem facilita a alimentação no período sem chuvas

Existem diversos formatos de colheita. Estabeleça o que mais se encaixa na sua realidade hoje, o que inclui disponibilidade de mão de obra e maquinário.

Balancear o oferecimento de alimentos concentrados com volumosos é o ideal para evitar doenças sérias. Para isso, prepare uma receita de ração que tenha a cana como ingrediente principal. Clique aqui e aprenda grátis o modo de preparo.

Você também pode oferecê-la in-natura, bagaço ou como silagem.

Confira mais vantagens sobre o uso da cana na pecuária:

  • Tem o cultivo relativamente simples e está presente em quase todo território brasileiro;
  • Pode ser servida picada in natura, como volumoso ou silagem;
  • Diferentemente do milho, a vantagem da cana é o preço;
  • A manutenção do canavial, resistência à chuva, corte e cultivo em praticamente todos os tipos de solo, fazem da cana um alimento com custo bem reduzido. 

 

BRS Capiaçu
A BRS Capiaçu está entre as forrageiras com melhor desempenho na pecuária brasileira. – Foto: Sítio Souzas

BRS Capiaçu

 

Como a produção de gado no Brasil é baseada no pasto, ter forrageiras que atendam a demanda de engorda é essencial. A capiaçu é um produto desenvolvido pela Embrapa e se tornou uma das mais utilizadas no país devido a qualidade.

É outra boa opção de volumoso para o gado para ser usada na seca. O ponto de colheita é entre 50 e 70 dias após o plantio, caso seja oferecido picado diretamente no cocho. Quando preparada para silagem, programe a máquina para partículas entre 1cm e 2 cm.

Entenda todos os detalhes que você precisa saber sobre essa espécie: BRS Capiaçu: tudo o que você precisa saber sobre o capim

Mais detalhes sobre o capiaçu 

  • O destaque é a produção de massa verde, 300 toneladas hectare/ano;
  • O capim é o alimento mais apropriado aos bovinos, e nessa questão o Capiaçu sai na frente do milho e cana;
  • Pode ser fornecido para bezerros e animais em recria na seca e estes animais retornarem ao consumo da pastagem nas águas sem a necessidade de adaptação ou qualquer alteração de consumo;
  • Quanto ao custo, o cultivo do capiaçu é intermediário. Sujeito às cigarrinhas, necessita de irrigação no oferecimento in natura na seca e a colheita, tanto mecânica quanto manual, tem custo relevante.

 

Análise sobre custo-benefício

 

Em termos de resultado no ganho de peso ou produção leiteira, o milho é um alimento de maior potencial, mais nobre e faz um conjunto perfeito com farelo de soja e ureia na nutrição completa.

Olhando para os custos, a cana-de-açúcar é extremamente interessante e também ótima alternativa para produtores iniciantes com menor área disponível.

O Capiaçú é de fato o alimento mais apropriado para as características dos bovinos. Ele tem o equilíbrio de custo, resultado, alta produção e simplicidade de fornecimento aos animais.

Se você reúne todas as condições de cultivo para as três lavouras, o BRS Capiaçú é a opção que apresenta melhores benefícios a médio e longo prazo.

Independente da sua escolha, investir em uma lavoura para suprir a nutrição no período de seca e ter o máximo rendimento com os animais o ano todo é fundamental para uma pecuária de sucesso!

 

 milho é oferecido de diversas formas, como a silagem, por exemplo. Entretanto, existem alternativas mais baratas como a capiaçu
O milho é oferecido de diversas formas, como a silagem, por exemplo. Entretanto, existem alternativas mais baratas como a capiaçu. – Foto: CPZ Esalq

Alimentação do gado, além do capiaçu

 

O milho, a capiaçu e a cana são aliados do ganho de peso do ganho durante a seca. Entretanto, existem outros itens necessários para que a sua produção mantenha o ritmo de crescimento esperado.

Mais que abastecer o cocho com alimentação, a suplementação tem que estar presente todos os dias. Não importa a época, na seca e nas águas. Dessa forma, o gado nutrido e saudável baterá as metas de arrobas.

Você usa o sal no dia a dia da sua propriedade?

O sal mineral e o sal proteinado repõem tudo o que o gado não encontra no pasto. Como resultado, tem o organismo com todos os elementos essenciais para que não adoeça e garanta os quilos necessários, de acordo com cada fase.

O manejo é simples. Basta ter um cocho próprio para o sal, acompanhar o consumo e fazer a reposição.

Como existem dois tipos de sal mais consumidos, separe o fornecimento assim: na seca, o sal proteinado e nas águas, o sal mineral. A justificativa é uma só, cada época do ano demanda mais necessidade de determinados elementos. Isso significa que na seca, o gado precisa mais de proteínas e nas águas, dos minerais.

Com isso, programe para que nunca falte esse suplemento na sua propriedade.

Além disso, você mesmo tem condições de fazer seu próprio sal. Como resultado, a propriedade economiza e o lucro acontece no momento certo da venda do gado. O rebanho estará forte, nutrido e com as arrobas esperadas, com um bom planejamento nutricional.

 

Aprenda como fazer o sal mineral e o sal proteinado:

 

Tire todas suas dúvidas sobre pecuária

 

Quando o produtor fica bem informado e aos poucos insere na lida tudo o que aprende, o lucro chega cada vez mais cedo na porteira.

Então, programe-se para estudar um pouco por dia. Sim, é possível. Assista pelo menos um vídeo da Boi Saúde por dia. Nosso conteúdo é rápido, simples e que está fazendo a diferença em milhares de propriedades rurais Brasil a fora.

Então, junte-se a nós. Inscreva-se agora no nosso canal de vídeos e assista todo o conteúdo a hora que quiser e sem pagar nada por isso. Clique aqui e assista os vídeos sobre pecuária.

 
banner banner
 

2 pensou em “Capiaçu, milho ou cana: qual a melhor lavoura para o gado?”

    1. José Carlos Ribeiro disse:

      Olá João, muito obrigado! Conte conosco para as melhores dicas do mundo da pecuária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

×