Quais são os cuidados com a braquiária do brejo?

Gostou? Compartilhe!

A forrageira do gênero braquiária tem mais de 80 espécies. Muito utilizada aqui no Brasil, a maioria delas tem origem na África. Como são muitas, vamos abordar uma em específico aqui nesta dica, a braquiária do brejo.

Em primeiro lugar, a braquiária é muito conhecida por se adaptar bem em climas tropicais. Em segundo lugar, as regiões com solos ácidos e baixa fertilidade podem se beneficiar da espécie.

Só no Brasil, segundo a estimativa divulgada pela Embrapa, mais de 70 milhões de hectares estão cobertos pela braquiária. Entre outras vantagens, tem alta capacidade de rebrota e cobertura vegetal do solo, por exemplo.

Agora que você já sabe os aspectos gerais, vamos abordar um gênero específico, conforme proposto no início do texto. As informações sobre a braquiária do brejo foi o pedido de um leitor. Então, caso você também tenha alguma dúvida sobre pecuária, deixe nos comentários ao fim do texto.

 

Quais são as características dessa espécie? 

 

Além de ser conhecida como braquiária do brejo, a forrageira tem os nomes de tanner grass e braquiária arrecta.

Caso sua área seja sujeita a frequentes inundações, é uma ótima escolha. Isso porque áreas mal drenadas e baixadas também são favorecidas com essa espécie. Pode obstruir drenos e córregos.

Acima de tudo, a propriedade que executa um bom manejo e cuidados como adubação, consegue a produção de 34 toneladas de matéria seca por hectare ao ano. A cor é verde brilhante.

 

braquiária do brejo
Quais são os cuidados com a braquiária do brejo? – Foto: Alessandra Simasaki

Cuidados com o oferecimento da braquiária do brejo 

 

Pode ter um efeito tóxico aos bovinos devido ao alto índice de nitrato. Se a sua intenção é formar pastagens, a braquiária do brejo não é uma boa opção, segundo a Embrapa.

De acordo com o comunicado técnico, os animais, quando intoxicados pelo consumo da braquiária do brejo, passam a urinar e defecar com sangue e apresentam sintomas como anemia. Esses problemas de saúde desaparecem quando os animais são retirados do pasto.

Quando comparada com outras espécies de braquiária, como decumbens e a brizantha, o nível de nitrato é maior.

Por isso, para evitar o problema, não ofereça apenas a braquiária do brejo. Faça consórcio com outras espécies para diversificar o pasto e evitar essas reações.

Outra desvantagem é a presença do percevejo Blissus leucopterus, sendo uma cultiva hospedeira desse inseto, considerado uma praga no cultivo de arroz. Além disso, quando consumido pelos animais, também pode causar danos à saúde.

Portanto, fica o alerta sobre o oferecimento da braquiária do brejo. O tempo de pastagem deve ser reduzido, com alternância de pastagem.

Por fim, se o tema pastagem para bovinos te interessa, confira mais conteúdos:

Para se manter sempre atualizado, não deixe de conferir nosso canal de vídeos. Informações práticas e simples que te ajudam a melhorar sua produtividade e seu lucro. Acesse pelo link: Boi Saúde no YouTube.

 

Referências: 

As principais espécies de Brachiaria utilizadas no país. Comunicado Técnico 22. Embrapa Gado de Leite. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Gramíneas para áreas de baixadas. Comunicado Técnico 25. Embrapa Gado de Leite. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 
banner banner
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*