Mau manejo do gado causa prejuízos na pecuária


Entenda os sintomas do mau manejo do gado e a necessidade do foco no bem-estar animal.

O ciclo vicioso negativo de maus tratos aos animais é um fator que deve ser eliminado de todas as propriedades. Provocar estresse ao animal por uso de espetos e porretes não pode mais fazer parte da realidade do produtor.

Normalmente, uma falha de manejo resulta em uma maior reatividade dos animais e torna tudo muito mais difícil. O trabalho do vaqueiro, por exemplo, precisa do uso maior de força para conter o animal e inibir a agressividade.

Mau manejo do gado deve ser extinto da pecuária brasileira
Mau manejo do gado deve ser extinto da pecuária brasileira

Quando a propriedade não adere ao bem-estar animal

O bovino é um animal que possui boa memória, sempre que for direcionado para um local que sofreu maus tratos, irá se lembrar e o manejo ficará cada vez mais difícil. Por isso, os maus tratos são um círculo vicioso negativo.

O tratador oferece maus tratos e o animal retribuiu com reações inesperadas. O bovino reage em proporções violentas, que pode ser uma tentativa de fuga, se jogar contra a cerca, tentar escapar passando por cima de pessoas. Ou até mesmo com expressões diretas, quando ele parte para cima do tratador que o agrediu com o objetivo de defesa. Em cenários diferentes, é mais comum a resposta dessa agressão ser de medo, do que um ataque direto.

Sintomas do mau manejo do gado

Dois indicadores são utilizados para detectar se o animal é mau tratado ou não. O primeiro chama-se distância de fuga, é baseado na distância mínima que o animal deixa você se aproximar dele. Uma distância de fuga zero é quando o animal deixa você passar a mão nele. Essa atitude não é esperada do bovino de corte, mas também na pastagem, um animal que não é possível se aproximar nem 100 metros, é um péssimo sinal.

Essa falta de aproximação se deve a dois aspectos: ou ele não conhece gente ou conhece e já foi agredido, por isso tem um histórico não muito favorável em contatos com humanos. Pois há a identificação de que ali haverá dor e sofrimento.

A outra medida é conhecida como velocidade de fuga, que é feita dentro do curral. Depois que o animal é colocado no tronco, quando a porta abre, ele sai correndo em disparada. Quando sai em galope é sinal de que há mau manejo.

Se atente ao bem-estar animal. Esse tratamento é reflexo do produto que você oferece aos consumidores. Não importa o tipo de pecuária da sua propriedade, seja corte, seja leite.

Saiba mais:

Bem-estar animal