Cocho coberto vale a pena?

Gostou? Compartilhe!

A qualidade do suplemento no cocho interfere diretamente no consumo pelo animal. Na maior parte das propriedades brasileiras de gado à pasto, o cocho não é coberto. Esse tipo de comedouro merece atenção especial por dois motivos: sobra de alimentos e no momento de servir a ureia. O produtor precisa se conscientizar que o sal empedrado ou molhado tem um consumo menor. Ao decidir cobrir o cocho, é preciso ter a consciência de que não é uma atividade de baixa custo. Por isso, nesta dica vamos abordar se vale a pena cocho coberto.

 

 

Uma média de valores no Brasil (de dezembro/2019), a cobertura custa em torno de R$ 800 o metro. Como o custo pode ser alto para muitos produtores, é preciso uma reflexão para aderir o investimento.

Então, vamos fazer uma conta, amigo produtor?

O cocho descoberto tem desperdício de 5% de ração, aproximadamente. Se você somar o desperdício + o peso que o animal deixa de ganhar em um ano ao não consumir o que sobra no cocho, já é suficiente para se pagar a cobertura do cocho da sua propriedade.

Afinal, com a cobertura, é possível ter mais tranquilidade ao servir a suplementação, além de certeza que o gado a está consumindo de forma correta.

 

Dicas para ter sucesso na suplementação servida no cocho

 

Para evitar que o sal empedre, misture-o com fubá. Esse complemento impedirá que o sal vire pedra no cocho.

O sal empedra no cocho pelos seguintes motivos:

  • Umidade. Em épocas ou regiões de muita chuva, o problema pode acontecer com maior frequência;
  • Manejo incorreto. Quando o sal fica exposto muito tempo no cocho. Nesse caso, o produtor pode colocar uma quantidade maior que a indicada para o consumo, por exemplo.

Se a ração for servida na propriedade, coloque o cocho e o bebedouro próximos um ao outro. A distância ideal é de 80 metros. O excesso de ração que fica na boca dos animais acaba se perdendo no pasto. Ou seja, se os dois ficarem muito próximos, a água estará suja e imprópria para consumo em pouco tempo.

 

cocho coberto
Será que vale a pena cobrir o cocho? Confira nossas dicas e decida. – Foto: Zilotti.

Qual melhor local para o cocho coberto e o bebedouro?

 

Em primeiro lugar, o cocho deve estar longe de locais das aguadas, pois o sal não pode ser molhado. Se o pasto for de uma área extensa, deve ter mais de um cocho e bebedouro, a fim de induzir que os bovinos transitem por ela. Dessa forma, toda a pastagem será usufruída.

Já os produtores adeptos do pastejo rotacionado, podem fazer um corredor ou uma praça de alimentação, na qual atenda todas as áreas utilizadas na rotação.

Em segundo lugar, o cocho deve ter sete centímetros lineares por animal. Esse tamanho não impede que todos os animais se alimentem juntos.

Não se esqueça de oferecer água potável para os bovinos. O líquido deve ser adequado para o consumo humano. A água, quando contaminada, pode provocar diversas doenças no gado, como a diarreia, além de infecções.

Em terceiro lugar, outro fator importante é sempre manter o local seco. Afinal, a lama, que geralmente fica em torno dos cochos e bebedouros, além de propiciar a presença de moscas, contribuir para a doença do casco.

E então, amigo produtor, será que vale a pena cobrir o cocho? Claro que a decisão final é sua, mas para ter uma pecuária eficiente é preciso se adequar em alguns aspectos para evitar desperdício e promover uma engorda expressiva.

Já que citamos o oferecimento de sal no cocho, sabia que tem horário mais indicado para servi-lo?

Por fim, continue com a Boi Saúde na dica: Sal proteinado no cocho: qual o melhor horário para fornecer?

 
banner banner
 

4 pensou em “Cocho coberto vale a pena?”

  1. Maria das Dores disse:

    Parabéns BoiSaúde as explicações são didáticas e acessíveis para o agricultor. Muito obrigada!

    Maria das Dôres

    1. José Carlos Ribeiro disse:

      Olá Maria, obrigado pelo elogio, continue nos acompanhando, abraços!

  2. Francisco Arthur Quaresma da Costa disse:

    É excepcional o material do Boi Saúde. Continuem contribuindo pra Pecuária de sucesso, esforçando pra fazermos nossa parte.

    1. José Carlos Ribeiro disse:

      Olá Francisco, obrigado pelo elogio, continue nos acompanhando!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*