Qual o manejo correto do pré-dipping?

Gostou? Compartilhe!

Que a higiene é fundamental na pecuária leiteira, não cansamos de escrever aqui. Entretanto, saber como aplicar esses processos de forma correta protege a saúde do animal, do ordenhador e também do consumidor final. Portanto, aprenda aqui com a Boi Saúde, o manejo correto do pré-dipping.

Mas, o que é pré-dipping?

É a limpeza que deve ser feita antes da ordenha. Ou seja, é a desinfecção dos tetos que acontece antes da retirada do leite.

O objetivo é bem simples. Como resultado, reduz o número de bactérias que podem contaminar o produto.

Entretanto, nos momentos antes do pré-dipping, siga um procedimento.

Em primeiro lugar, lave bem as mãos com água limpa e corrente. Além disso, use sabão.

Em segundo lugar, o uniforme, avental e demais peças do vestuário precisam estar limpas. Utilize luvas pela sua saúde e pela saúde das vacas.

Contudo, não esqueça que todo o processo de ordenha deve ser calmo, tranquilo e em um ambiente limpo.

Feito isso, vamos partir para a limpeza da glândula mamária.

 

Antes da desinfecção 

 

O procedimento precisa fazer parte da rotina da ordenha. Após os três primeiros jatos, que servem para identificar a mamite e descartar o primeiro leite, faça o manejo indicado. Esse procedimento é mais conhecido como teste da caneca.

Já que a mastite é uma preocupação frequente, não deixe de se informar: Mastite bovina: evite a queda na produção de leite.

Depois da retirada dos primeiros jatos, parta para a lavagem.

Uma mangueira de baixa pressão é o suficiente para retirar os resíduos. Entre eles, esterco, barro e qualquer outro tipo de sujeira que possa ter nos tetos e em toda glândula. Evite a parte alta o úbere.

 

pré-dipping
Qual o manejo correto do pré-dipping? – Foto: reprodução/internet

Qual o manejo correto do pré-dipping?

 

Para realizar o pré-dipping, você vai precisar de uma solução desinfetante. Esse produto é diferente do usado no pós-dipping, procedimento de limpeza após a ordenha.

A solução ideal é baseada em iodo a 0,1 a 0,5%, cloro a 1% ou clorexidina 0,1%.

Insira cada teto na solução por 10 segundos cada. Com isso, a redução das bactérias presentes na glândula será feita.

Empresas especializadas vendem kits com equipamentos adequados para a desinfecção.

Dessa forma, as doenças bactericidas, uma das principais que trazem prejuízos da pecuária leiteira, ficarão longe da sua propriedade.

O pré-dipping é indicado em todas as ordenhas.

 

Depois do pré-dipping 

 

A limpeza para desinfecção não basta. Por isso, fazer a secagem é outra tarefa importante.

Secar os tetos, segundo a Embrapa, é uma das atividades mais importantes da ordenha. Afinal, contribui com a qualidade do leite. E na saúde da glândula mamária.

A secagem é feita de forma bem simples. Sendo assim, nunca utilize panos, mesmo que limpos.

A forma mais adequada é o uso de toalhas de papel descartáveis. Use uma para cada teto. E após o uso, jogue-as no lixo, sem reaproveitamento.

Feito isso, pode inserir as teteiras.

 

E reforçando, amigo produtor, o sucesso de uma pecuária leiteira é resultado da prevenção de doenças, bem-estar animal. Acima de tudo, a ração servida no cocho.

Para melhorar seus resultados, faça a alimentação das suas vacas na propriedade: Ração para gado de leite: aprenda como fazer.

Por fim, para mais dicas, acesse nosso canal: Boi Saúde no YouTube.

 

Referência 

Manejo Correto da Ordenha e Qualidade do Leite. Circular Técnica, 27. Embrapa Pecuária Sul.

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*