O que é e qual a origem do boi tropical?

Com a tecnologia, a pecuária avança com resultados melhores a cada ano. Inclusive, alguns métodos até nos surpreendem. Um deles é o boi tropical. Nesta dica, vamos entender o que é, a origem e as características desse bovino.

Você pensou que algum dia, uma raça seria criada em laboratório?

Pois bem, amigo e amiga pecuarista. Esse é o boi tropical. Conhecido por ser uma raça sintética. Portanto, criada em laboratórios. É resultado de trabalho genético realizado pela Embrapa.

O cruzamento das raças mais utilizadas no Brasil foi pesquisado. Dessa forma, os cientistas que trabalharam no processo selecionaram o melhor de cada uma delas.

Quer saber quais são? Imagine um bovino com as melhores características das raças.  Incluindo Nelore, Senepol, Angus e Curraleiro pé duro. Além de algumas outras.

Hoje, essa raça existe, sendo conhecida como boi tropical. Essas raças conhecidas como formadoras são responsáveis por formar outras raças, devido às características genéticas.

A nova raça foi batizada com esse nome por ter aspectos ideais para sobreviver ao clima. E ainda ter uma produtividade adequada com a nosso clima e região.

 

Características do boi tropical

 

Vamos entender quais as características de cada raça foram selecionadas para o boi tropical?

Curraleiro Pé-Duro, Caracu e Crioulo Lageano: docilidade, resistência a parasitas, adaptação ao clima tropical. E tem mais: longevidade, uso de pastagem nativa, facilidade no deslocamento em águas distantes. Todas essas raças são de origem brasileira.

Agora, vamos conhecer as características que o boi tropical herdou das raças zebuinas.

A Nelore, Sindi e Guzerá proporcionaram a habilidade materna. Ainda, a adaptação a ambientes hostis, que são locais onde apresentam algum tipo de ameaça.

Já o senepol, foram selecionads os genes que se adaptam ao calor. Essa característica no nosso país é muito bem-vinda, não é mesmo? Mesmo no inverno, algumas regiões têm alto índice de temperaturas acima dos 30 graus. Outra herança do senepol é o rendimento de carcaça.

Sobre o angus vermelho, que também fez parte do cruzamento que resultou o boi tropical, o marmoreio e a qualidade da carne foram inseridas geneticamente. A precocidade também.

Em conclusão, todo esse estudo, a partir do cruzamento dessas raças, resulta em uma carne macia, suculenta e saborosa.

 

boi tropical
Boi tropical. – Foto/reprodução: Embrapa

Por que atuar com melhoramento genético?

 

Os cruzamentos de raças na pecuária proporcionam melhorias em todos os sentidos. Desde ganho de peso, resistência a parasitas, rendimento de carcaça e adaptação ao local onde irão viver.

Ter um animal que se adapta à região, além de ter bons resultados, evita o sofrimento.

Já pensou inserir no Nordeste uma raça adaptada ao frio e não ao calor? Ou até o contrário?

O rendimento não acontece, a propriedade tem prejuízos. Acima de tudo, o bem-estar animal fica abaixo do esperado.

Por isso, amigo produtor, se puder, invista em melhoramento genético. Muitas propriedades já atuam com pesquisas. Entretanto, sempre de acordo com as normas.  O foco está na produção de um produto com qualidade cada vez mais alta. E com rendimento e economia.

Tudo isso para melhorar o nosso agro.

Para saber qual a melhor raça para o seu negócio, confira a dica: A melhor raça de gado para corte para você. 

E se preferir dicas em formato de vídeo, acesse nosso canal. Lá, você encontra conteúdos para aumentar sua produtividade, com novidades toda semana. Acesse: Boi Saúde no YouTube.

 

Referência:

Boi tropical – processo de produção. Embrapa Meio Norte

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*