Como fornecer alimentação para bovinos na seca

Temido pelo produtor pela dificuldade fornecer alimentação para bovinos, existe a seca. É possível proporcionar um cocho sempre com nutrição adequada e balanceada para evitar perda de peso e prejuízos na entressafra. O planejamento é a melhor forma para enfrentar a seca mesmo sem pasto sadio. Acompanhe esta dica e mantenha uma produtividade crescente o ano todo.

Quando falamos em planejamento, as ações para se obter ração, silagem e forrageiras durante a seca devem ser executadas durante os meses das águas. Nada melhor que se programar para evitar que o gado perca peso e não alcance a meta estipulada para o período. Aqui, vamos indicar formas de alimentar o gado. Vamos lá?

 

Alimentação para bovinos na seca

 

Silagem

Existem diversas formas de silagens, desde grãos até forrageiras. O mais indicado é que o produtor faça a estratégia durante as águas, quando a maioria dos ingredientes está no ápice nutricional. E a silagem pode sim substituir o pasto na fase mais crítica da seca. O importante é não deixar de oferecer alimento para o gado que seja adequado para o consumo.

Não basta preparar a silagem. É preciso ter quantidade suficiente para que seu gado seja alimentado durante toda a seca.

Veja quanto um boi come de silagem e programe a produção de acordo com o número de cabeças da propriedade:

  • Vacas Leiteiras: até 20Kg/cabeça ao dia ou cerca de 3% do peso vivo;
  • Vacas Secas: 9 a 15Kg, por cabeça ao dia;
  • Touros: 1,5% do peso vivo;
  • Bezerros e novilhas: 5 a 6 Kg ao dia;
  • Gado em engorda: em torno de 3% do peso vivo.

Para aprender como fazer a silagem de milho, acesse: Silagem de milho para gado

 

Silagem de forrageira 

Em março, muitos produtores já começam a preparação. Esse mês é muito bem indicado, já que as pastagens estão verdes e em bom crescimento devido as chuvas de verão.

A matéria prima da silagem pode ser qualquer planta forrageira. Entre elas, a de capim, milho, girassol, sorgo e outras.

A conservação da silagem é muito importante para que os nutrientes das forrageiras sejam mantidos e consumidos pelo gado. Ainda, evita a degradação do material.

Para começar, você sabe o tamanho ideal da silagem de forrageira? A sua máquina deve ser regulada para produzir partículas entre 0,5 e 2,5 cm.

Na vedação, alguns aspectos importantes precisam ser tomados, como:

  • não deixar entrar água e ar no silo;
  • evitar a entrada de animais no silo e o trânsito deles ao redor;
  • faça furos na lona que deve ser branca. As escuras, como a preta, que inclusive são muito usadas, facilitam o aquecimento, que deve ser evitado;
  • o silo deve ser aberto apenas após 30 dias de fechamento;
  • retire a silagem apenas no momento de servi-la no cocho.

 

Como fornecer alimentação para bovinos na seca
Como fornecer alimentação para bovinos na seca – Foto: Pixabay

Nutrição no cocho 

Não tem como fugir, amigo produtor! Sal e virginiamicina no cocho é questão de sobrevivência do negócio.

O sal proteinado nada mais é que um componente que aperfeiçoa o aproveitamento dos nutrientes, reduz o tempo para o abate e promove excelentes resultados na pecuária de leite e corte. Além de evitar queda na produtividade e o uso é necessário. Ele é composto pelos seguintes ingredientes:

  • cálcio
  • cobalto
  • enxofre
  • ferro
  • fósforo
  • flúor
  • magnésio
  • potássio.

Sal mineral: É um elemento complementar na alimentação, já que supre as necessidades nutricionais não encontradas na ração e na pastagem. A composição é feita a partir da mistura de diversos ingredientes. Para saber qual o ideal para sua propriedade, é preciso conhecer as deficiências do solo.

Virginiamicina: é um composto antimicrobiano. Foi descoberto na Bélgica na década de 50. É um princípio ativo que melhora a produtividade e desempenho do gado. Estudos indicam aumento de 15% do peso vivo ao mês. O composto é uma tecnologia que permite ao animal uma melhor performance dentro das condições oferecidas pelo produtor e com entrega de um bom resultado.

 

Grãos na alimentação para bovinos na seca

Você pode oferecer:

Sorgo: É um cereal africano, rico em amido. Além de bovinos, suínos e aves o utilizam como alimento. Está entre as fontes de amido mais utilizadas em bovinos.

Soja: A soja é um dos grãos mais cultivados no Brasil. Nosso país que tem uma ampla atividade agrícola econômica, têm muitas propriedades atuantes em mais de uma cultura. E mesclar a plantação com a pecuária pode gerar bons resultados.

Aveia: Cereal fonte de nutrientes essenciais para a saúde e muito utilizada na seca. Muito utilizada na alimentação de equinos, a aveia é tão democrática que tem bons resultados em todos os regimes: pasto, confinamento e semi-confinamento. Pode ser utilizada na substituição do milho, mas não de forma total. Além disso, os custos podem ser até 20% menores do que os utilizados o grãos tradicionais, como milho e soja.

 

Manejo do pasto 

 

Para o pasto, é possível fazer a vedação ou o formato de pastejo rotacionado. Alguns produtores que têm rios, lagos e riachos próximos à propriedade, utilizam o sistema de irrigação para manter a nutrição e qualidade da espécie escolhida, que deve ser de acordo com o solo e clima.

 

Cuidados além da alimentação para bovinos na seca

 

Não esqueça de seguir o calendário vacinal, amigo produtor. Mais que garantir proteção ao gado, é uma segurança no momento da comercialização.

Em algumas regiões, o período da seca pode ser frio e com baixa umidade. Se possível, construa galpões para evitar a exposição dos bovinos a temperaturas muito baixas.

O bebedouro e o cocho devem sempre estar em local de fácil acesso e com higiene redobrada ao redor.

O bem-estar animal precisa estar presente em todas as ações executadas no manejo, desde o fechamento do gado, a locomoção entre pastos e também no nascimento, desde os primeiros dias de vida.

Esperamos que essas orientações te auxiliem no seu dia a dia para ter uma produtividade sempre alta. Lidar com a seca é desafiador, mas é possível vencer as barreiras dessa época que tem fama de proporcionar queda na engorda.

 

Nossas dicas e informações não param por aqui. Fica o convite para você continuar aqui no nosso blog (https://dicas.boisaude.com.br/), usufruindo de conhecimento sobre o manejo da pecuária de corte e de leite. E se ainda tiver alguma dúvida, é só escrevê-la nos comentários abaixo do texto.

 
banner banner
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*