5 dicas para proteger o gado do calor excessivo

 

Com a onda de calor e altas temperaturas em diversas regiões do país, os produtores de gado precisam proteger o gado do calor excessivo. Para evitar a queda na produção de leite, que pode chegar em até 20% em altas temperaturas, segundo o estudo Heat stress management in Israel e a perda de peso do gado de corte, a Boi Saúde sugere adaptar a propriedade para proteger o gado do sol e calor faz parte dos princípios do bem-estar animal. Ainda, toda a produção pode ser afetada quando a temperatura é muito alta. O gado perde peso e a expectativa de produção de leite tem uma diminuição considerável.

 

Confira as dicas para proteger o gado do calor excessivo

 

1.Faça corredores agroflorestais na propriedade

Esse plantio de árvores dos dois lados é local ideal para manter os animais nos períodos mais quentes do dia, que costumam ser entre às 10h e 17 horas. Com esse plantio, o produtor manterá os bovinos em temperatura entre 18ºC e 22ºC graus. É um parâmetro adequado e que não proporcionará diminuição do consumo de ração que tem como consequência a queda na produção. Além disso, as árvores podem ser frutíferas.

2. Vacas de leite precisam ser resfriadas

A mudança climática afeta muito a reprodução, principalmente a fertilidade das vacas. Promover uma melhora na sensação térmica para elas, por meio de um sistema de resfriamento corporal, inibe esse problema na propriedade. Uma das técnicas mais comuns aplicadas em países tropicais ou de tempo seco e quente é molhar as vacas e depois ventilá-las. A água entra no pelo, faz a troca de calor com o corpo e a ventilação seca essa água, o que previne casos de gripe e pneumonia. É preciso realmente molhar a vaca, não deixá-la apenas úmida. Só assim a sensação térmica será alterada.

3. Mantenha a água sempre na temperatura certa

Um animal adulto tem que consumir em torno de 45 litros de água por dia ou o gado de corte tem que consumir três litros de água para cada quilo de matéria seca consumida. Essa medida varia de acordo com o clima, umidade, variações da região onde está localizado. Já a quantidade ideal que um bovino de leite deve ingerir por dia é de quatro litros de água para cada um litro de leite produzido. A água fria auxilia no esfriamento do organismo do animal, proporcionando bem-estar.

4. Plante mudas a cada três metros no pasto

É possível formar diversas fileiras no mesmo piquete. Além da presença de sombra, haverá diminuição de aquecimento, ou seja, o ambiente ficará mais fresco, com temperaturas amenas. As raízes dessas mudas, quando adultas, farão uma melhor absorção da água da chuva, que irá favorecer os nutrientes da pastagem. Uma sugestão de espécie é o eucalipto. Bem adaptado ao solo brasileiro, não tem alto custo de plantação, crescimento rápido e encontrado facilmente.

5. Construa galpões para proteção do sol e também de tempestades

Como os pastos são lugares abertos e descampados têm grande probabilidade de ocorrência de raios que são fatais para bovinos. Por instinto, ao iniciar a chuva, os bovinos costumam se aproximar das cercas, como forma de proteção. Isso acontece, principalmente em áreas sem galpões para se abrigarem da chuva e do sol. Porém, a cerca é uma das formas de morte de bois por raio e descargas elétricas. Quando o raio atinge a cerca, a descarga elétrica se espalha por todo cercado, principalmente se for com arame farpado. Instalar para-raios na propriedade também é uma boa medida de prevenção.

 

Para complementar a dica número 5, acesse as orientações: Como prevenir morte de bois por raio e descargas elétricas. 

Foto: Simone Perazza

 

 

Controle dos Parasitas:
Receba em seu e-mail 5 dicas para o controle efetivo dos parasitas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

topo
Bitnami